Desregulamentação ambiental de Trump ameaça acordo de Paris,diz especialista

Revista ihu on-line

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Mais Lidos

  • Por que o Papa Francisco não tem medo de um cisma

    LER MAIS
  • Os 12% do presidente – em que lugar da sociedade habita o bolsonarista convicto?

    LER MAIS
  • O cardeal Burke inicia a cruzada contra o Sínodo sobre a Amazônia, com base em um documento herético

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

29 Março 2017

A adoção de atos de desregulamentação ambiental pelo presidente dos EUA, Donald Trump, "é um sério risco para o fim, na prática, do Acordo de Paris", comentou ao Broadcast o professor Christopher Knittel, diretor do Centro de Pesquisa para Políticas Ambientais e de Energia do Massachusetts Institute of Technology.

"O cumprimento dos compromissos relativos ao Acordo de Paris pelos países signatários é voluntário. Contudo, como os EUA poderão a partir de agora pedir para outras nações com problemas ecológicos, como China e Índia, para adotarem cuidados mais amplos ao meio ambiente?", comentou Knittel.

A reportagem é de Ricardo Leopoldo, publicada por O Estado de S. Paulo, 28-03-2017.

"Os EUA sinalizam agora para o mundo que não dedicam mais a devida atenção para aquecimento global", destacou o professor do MIT. "Com o fim de regulações e medidas de proteção que levaram tanto tempo para ser adotadas, a economia mundial será afetada no longo prazo, com o aumento do número de enchentes e elevação da temperatura média no ano."

Para o professor Christopher Knittel, no curto prazo os impactos do decreto assinado hoje por Trump trarão poucos efeitos à economia americana. "Muitas empresas já funcionam com energia mais eficiente e tornaram-se mais produtivas com redução de custos de produção, o que não permitirá uma volta para o passado de menor produtividade", apontou. "Além disso, muitos

Estados já adotaram regulações específicas que tratam do meio ambiente de forma mais avançada e moderna para suas comunidades e também para o setor corporativo", apontou.

O acadêmico apontou que o presidente Donald Trump desrespeita a população e a comunidade científica ao adotar medidas que terão efeitos ecológicos negativos, com aumento de problemas de saúde da população americana. "Não há dúvida de que a partir de agora deve aumentar o ritmo do aquecimento global o que vai elevar também os estudos de pesquisadores nesta área pelo planeta."

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Desregulamentação ambiental de Trump ameaça acordo de Paris,diz especialista - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV