Uma igreja, uma fé, um Senhor

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Apoio do papa a uniões gays não é uma surpresa, mas é muito significativo. Artigo de James Alison

    LER MAIS
  • Coluna “Rumo a Assis: na direção da Economia de Francisco”

    O propósito da tecnologia e do humano: Dados, reflexões e possibilidades para a Economia de Francisco

    LER MAIS
  • Papa Francisco, uniões civis e o reconhecimento da intimidade. Artigo de Andrea Grillo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


15 Março 2017


Foto: Portal Anglican Center in Rome

Na tarde de hoje, fez-se história. O “evensong”, vésperas icônicas na tradição anglicana, foi celebrado na Basílica de São Pedro em Roma por um arcebispo anglicano no aniversário da eleição do papa.

A informação é de Marcus Walker, publicada por Anglican Center in Rome, 13-03-2017. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

O Arcebispo David Moxon, diretor do Centro Anglicano em Roma, conduziu a cerimônia usando as antigas palavras de Thomas Cranmer. Dom Arthur Roche, secretário da Pontifícia Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, um dos ingleses do alto escalão vaticano, foi quem pregou. O coro do Merton College, de Oxford, acompanhou musicalmente.


Foto: Portal Anglican Center in Rome

As peças musicais foram cuidadosamente escolhidas para refletir a ocasião histórica. A cerimônia foi intercalada por motetes compostos por William Byrd (cerca de 1539/1540 a 1623). Durante toda a vida, Byrd foi católico romano, mas trabalhou para a Igreja da Inglaterra primeiramente como organista da Catedral de Lincoln e em 1572, quando retornou a Londres, na Capela Real.

A cerimônia abriu com “Prevent us, O Lord”, palavras do Livro da Oração Comum, e concluiu com “Justorum animae”, que vem do católico-romano “Próprio para a Festa dos Santos”, publicado nas Gradualia 1605.


Foto: Portal Anglican Center in Rome

A celebração realizou-se em homenagem a São Gregório Magno no dia mais próximo de seu antigo dia festivo. São Gregório foi o papa que enviou Santo Agostinho para a Inglaterra para evangelizar os anglo-saxões e que se tornou um patrono não oficial da maioria dos intercâmbios ecumênicos mais recentes entre as igrejas anglicana e católica romana. A sua férula foi mandada a Canterbury como um gesto de apoio durante o Encontro dos Primazes em janeiro de 2016 e o Papa Francisco deu ao Arcebispo Justin Welby um báculo entalhado de madeira durante o encontro de ambos em outubro.

Roche pregou sobre as maneiras importantes como o Papa São Gregório, servo dos servos de Deus, pode guiar as relações entre as duas confissões hoje.


Foto: Portal Anglican Center in Rome

O hino final, durante o qual a procissão percorreu o caminho para o túmulo de São Gregório, foi “Thy hand, O God, has guided”. O verso final resume grande parte do sentimento presente na Basílica de São Pedro neste dia, quando anglicanos e católicos louvaram a Deus juntos de um jeito que poucos imaginariam até um ano atrás:

Tua misericórdia não nos faltará
Nem deixe seu trabalho desfeito;
com a tua mão direita para nos ajudar,
A vitória será ganha;
E então, por homens e anjos,
Teu nome será adorado,
E este será o seu hino,
Uma Igreja, uma fé, um Senhor.
Uma Igreja, uma fé, um Senhor.
Amém.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Uma igreja, uma fé, um Senhor - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV