Jesuítas reúnem-se em esforço para apreender o “efeito Francisco”

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco ataca o 'desejo de poder', a 'rigidez disciplinar' e a 'deslealdade' nas associações de fiéis, dos movimentos eclesiais e das novas comunidades

    LER MAIS
  • Vacinas, o grande golpe da Big Pharma

    LER MAIS
  • A furiosa e disfarçada guerra pela Água no Brasil

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


03 Outubro 2016

“Hoje, estamos diante de números decrescentes como acontece com todos os outros grupos religiosos. Não podemos continuar fazendo as mesmas coisas de ontem. Com pessoal e materiais limitados, precisamos centrar as nossas energias somente naquilo que podemos fazer. Devemos abandonar as áreas onde outros têm condições de fazer o trabalho, e o fazem inclusive melhor do que nós”.

O comentário é de Kinley Tshering, superior da Província de Darjeeling, na Índia, publicado por Crux, 30-09-2016. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

A Companhia de Jesus chegou aos seus 476 anos desde a fundação em 1540. Ela já teve 35 Congregações Gerais e elegeu 30 Superiores Gerais. A Congregação Geral é a instância de governo mais alta dos jesuítas, mais alta até do que o Superior Geral quando está em sessão.

Assim, em 02-10-2016, quando os delegados eleitos se reunirem para a 36ª Congregação Geral, eles vão eleger o 31º Padre Geral e definir novas diretrizes legislativas.

O grupo também discutirá os novos desafios que o mundo enfrenta na atualidade e pensará estratégias para a ordem dentro do futuro imediato e no longo prazo. Desta vez, eles farão tudo isso diante de um enorme pano de fundo.

O “efeito Francisco” que está vendo a Igreja de um ponto de vista totalmente diferente está também desafiando os jesuítas. Francisco não só é o papa, mas é um papa jesuíta, e portanto os desafios duplicam-se para os membros da Companhia de Jesus sob várias formas.

O papa conhece os jesuítas a partir de dentro e, agora, pode fazer exigências como alguém de fora também. Ele pedirá aos jesuítas que “cheirem a ovelhas”. Até onde os jesuítas vão querer ir, e com que profundidade, são questões importantes.

Na 32ª Congregação Geral, os delegados estavam diante de uma grande mudança paradigmática: a promoção de uma fé que faça justiça. Muitos jesuítas em todo o mundo dedicaram a vida a esta causa, mas, enquanto organismo, será que fomos longe o suficiente?

Esta pergunta permanecerá bastante relevante enquanto houver pobres no mundo. A distância entre Lázaro e Dives [homem rico] ainda é abismal.

Hoje, estamos diante de números decrescentes como acontece com todos os outros grupos religiosos. Não podemos continuar fazendo as mesmas coisas de ontem. Com pessoal e materiais limitados, precisamos centrar as nossas energias somente naquilo que podemos fazer. Devemos abandonar as áreas onde outros têm condições de fazer o trabalho, e o fazem inclusive melhor do que nós.

Devemos deixar ir as nossas seguranças e aventurar-nos mar adentro, com confiança no Senhor, conforme retrata o logotipo da Congregação Geral.

O maior instrumento que nós jesuítas temos é a nossa herança espiritual, os Exercícios Espirituais de Santo Inácio. Precisamos usar este instrumento com todo o coração, mente e alma e deixar as nossas ações fluírem desta sabedoria. Isso, no entanto, pode sair caro!

Talvez tenhamos de deixar as nossas barcas em terra firme novamente e nos colocarmos mar adentro. Devemos nos desincumbir da bagagem de nossa própria história e sermos, uma vez mais, homens em movimento, jamais satisfeitos com o status quo. Temos de nos manter com fome e com sede de mais, de Magis.

Tenho a confiança de que a Companhia de Jesus sairá fortalecida da 36ª Congregação Geral com as bênçãos do Espírito Santo e com o carisma do Papa Francisco. Iremos continuar fazendo a diferença no mundo, servindo humildemente à Igreja e deixando, com humildade, as nossas próprias vidas em suas mãos.

Leia mais...

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jesuítas reúnem-se em esforço para apreender o “efeito Francisco” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV