O Peru terá que escolher entre democracia e ditadura

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • A ditadura do sr. Guedes. Artigo de Vladimir Safatle

    LER MAIS
  • Um estranho casamento: neoliberalismo e nacionalismo de direita

    LER MAIS
  • "Nunca, nunca encobrir a realidade. Dizer sempre: 'É assim'”. Papa Francisco recebe a redação da revista jesuíta Aggiornamenti Sociali

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

15 Abril 2016

No próximo domingo 5 de junho, o Peru terá um segundo turno para decidir a presidência da república entre Keiko Fujimori e Pedro Pablo Kuczynski.

O Fujimorismo

Hoje, dia 12 de abril, como 95.32% dos votos apurados, o partido Força Popular liderado pela filha do ditador condenado e preso por crimes contra a humanidade e corrupção, Alberto Fujimori, passou para o segundo turno com um 39.74% dos votos.

A reportagem é de Susel Paredes Piqué, publicada por Open Democracy, 14-04-2016. 

O que além disso a constitui como primeira força politica no Congresso da República, dispondo duma maioria extraordinária. Isto também significa que a possibilidade duma nova constituição está cada vez mais longe, uma vez que o Fujimorismo a defenderá como principal legado do ditador.

Se Keiko Fujimori chegar à presidência, as propostas de direitos humanos e direitos civis serão paralisadas no Congresso, e as comunidades historicamente excluídas correm uma grave perigo.

Peruanos pela Mudança

Em segundo lugar ficou o partido “Peruanos pela Mudança” liderado por Pedro Pablo Kuczynski que obteve 21.04% dos votos, que defende diversas iniciativas legislativas que visam proteger os direitos humanos e direitos civis, concretamente os da comunidade LTGBI, que propõe:

União civil, incorporação dos direitos da comunidade LTBGI no Plano Nacional de Direitos Humanos, a elaboração dum registo de vítimas de agressão pela sua orientação sexual e identidade de gênero e uma lei contra os crimes de ódio.

O role das esquerdas

A esquerda conseguiu desde o Frente Amplio, liderado por Veronika Mendoza, 18.79% dos votos, recuperando um saudável protagonismo parlamentário próprio depois de décadas, já que os congressistas de esquerda que emergiram anteriormente fizeram-no através do atual partido de governo.

Um fato interessantes é a participação de Gregorio Santos, atual governador da região Cajamarca, que apesar de estar preso e sem ter sido ainda condenado, obteve desde a sua participação no partido Democracia Direta 4.09% dos votos, além de uma vitória incontestável na região de Cajamarca, onde conseguiu 40.63% dos votos da região. Imaginam o que poderia ter acontecido se estivesse em liberdade? Pese a que a competiu do outro lado dos muros prisionais, Gregorio Santos demonstra uma capacidade política muito interessante que não devemos perder de vista.

Os ex-presidentes

Alejandro Toledo simplesmente ficou aquém das expetativas, e Alan García teve que renunciar à presidência do partido. Esperemos que esta seja a morte dos caudilhismos da APRA e do Peru Possível, com a consequente aparição das gerações oprimidas pelos caciques para refundar estes partidos em benefício da democracia.

O segundo turno

O segundo turno apresenta um dilema que se resolveria facilmente com a participação ativa e militante das esquerdas que atualmente sumam um 22.88% da votação nacional.

Estas forças políticas do país representadas pelo Frente Amplio e Democracia Direta, têm nas suas mãos a responsabilidade de liderar uma campanha forte e ativa contra a ditadura. Esse quase 23% da esquerda fresca e renovada pode definir o destino do Peru pondo-o nas mãos da democracia ou colocando-o nas garras da ditadura.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Peru terá que escolher entre democracia e ditadura - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV