IDH do Brasil, China, Venezuela e Vietnã em 2019. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • “Sínodo é até o limite. Inclui a todos: Os pobres, os mendigos, os jovens toxicodependentes, todos esses que a sociedade descarta, fazem parte do Sínodo”, diz o Papa Francisco

    LER MAIS
  • Por que a extrema direita elegeu Paulo Freire seu inimigo

    LER MAIS
  • Ainda há espaço para a missão do padre? Artigo de Giannino Piana

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


06 Março 2021

"A estratégia de desenvolvimento dos países do leste asiático – baseado na promoção das exportações (“Export-Led Growth”) tem mostrado melhores resultados práticos do que a estratégia dos países latino-americanos baseada na substituição de importações", escreve José Eustáquio Diniz Alves, doutor em demografia e pesquisador titular da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – ENCE/IBGE, em artigo publicado por EcoDebate, 03-03-2021.

 

Eis o artigo.

 

O melhor desempenho asiático fica claro na análise do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). O gráfico abaixo mostra que entre 1990 e 2010 a Venezuela e o Brasil tinham um IDH bem superior ao IDH de China e Vietnã. Mas enquanto os indicadores dos países do leste asiático cresciam rapidamente, o IDH do Brasil cresceu lentamente a partir de 2014 e o da Venezuela diminuiu. Assim, o IDH da Venezuela que era o maior entre os 4 países ficou o menor em 2019 (empatado com o Vietnã) e o houve empate entre os IDHs da China e do Brasil.

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Venezuela, Brasil, China e Vietnã: 1990-2019

Fonte: http://hdr.undp.org/en/content/human-development-index-hdi

A tabela abaixo mostra o IDH da Noruega (o primeiro colocado no ranking internacional) e dos 4 países em questão, decomposto pelos componentes, para o ano de 2019. A China tem a maior esperança de vida ao nascer (Eo) e a maior renda per capita, entre os 4 países, embora bem distante da Noruega. Contudo, o Brasil leva vantagem da expectativa de anos de escolaridade e a Venezuela em média de anos de educação.

IDH de Noruega, Brasil, China, Venezuela e Vietnã em 2019

Foto: EcoDebate

Para 2020, a expectativa é que a China ultrapasse o Brasil e o Vietnã ultrapasse a Venezuela, pois os países do leste asiático tiveram um desempenho muito melhor no controle da pandemia da covid-19.

Com grande probabilidade o Brasil e a Venezuela vão ter redução nos indicadores de esperança de vida, educação e renda, enquanto a China e o Vietnã devem apresentar avanços nestas áreas sociais.

Brasil e Venezuela são países submergentes, enquanto a China e o Vietnã são países emergentes. Os dois países asiáticos conseguiram controlar a epidemia, apresentaram crescimento do PIB em 2020 e devem ter desempenho ainda melhor em 2021. As diferenças são contrastantes.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

IDH do Brasil, China, Venezuela e Vietnã em 2019. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV