"É um profundo equívoco pensar que a posse de armas trará segurança à população", afirma Rede Justiça Criminal

Revista ihu on-line

Etty Hillesum - O colorido do amor no cinza da Shoá

Edição: 531

Leia mais

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

Mais Lidos

  • “Os africanos devem se livrar do desejo da Europa”. Artigo de Achille Mbembe

    LER MAIS
  • “Colocar a própria vida em jogo”. Papa Francisco no Panamá em diálogo com os jesuítas da América Central

    LER MAIS
  • Os evangélicos e o poder na América Latina

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

16 Janeiro 2019

Rede Justiça Criminal, grupo composto por oito organizações não governamentais brasileiras, do qual a Conectas faz parte, e que tem como objetivo contribuir e influenciar o debate em temas pertinentes ao sistema de justiça criminal, se manifestou nesta terça-feira, 15 de janeiro, sobre decreto do presidente Jair Bolsonaro que flexibiliza as regras para posse de armas no país.

Eis a nota.

Rede Justiça Criminal manifesta profunda preocupação diante do afrouxamento das regras para a posse de armas no país, determinado pelo decreto assinado hoje, 15 de janeiro, pelo presidente Jair Bolsonaro.

Em um país onde mais de 62 mil pessoas foram vítimas de homicídio em 2018, dos quais mais de 70% foram cometidos com arma de fogo, é um profundo equívoco pensar que a posse de armas trará segurança à população, como alega o presidente. Muito lamentavelmente, é de se esperar que a sociedade brasileira sofra ainda mais as consequências da violência, refém de uma manobra argumentativa que responde de maneira irresponsável e açodada a uma demanda legítima por um país mais seguro.

Mais adequado seria investir na segurança pública e na valorização dos profissionais da área. O decreto compromete os avanços obtidos desde a aprovação do Estatuto do Desarmamento e é lastimável que o Governo Federal demonstre tamanha falta de compromisso com a política de controle de armas.

Rede Justiça Criminal repudia essa decisão e se manterá alerta diante dos desdobramentos do referido decreto e monitorará de perto suas consequências na segurança pública e na justiça criminal.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"É um profundo equívoco pensar que a posse de armas trará segurança à população", afirma Rede Justiça Criminal - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV