O Papa pede que as paróquias não sejam “escritórios”, mas lugares “em contato com o povo”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O fenômeno dos padres fisiculturistas e estrelas das redes sociais

    LER MAIS
  • Francisco para os pais e mães de homossexuais: “A Igreja ama os vossos filhos do jeito que eles são, porque são filhos de Deus”

    LER MAIS
  • “O Papa me disse: Deus ama os filhos homossexuais como eles são”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Setembro 2017

“Casas onde a porta esteja sempre aberta”, e de modo algum “escritórios”. Na edição de setembro do Vídeo do Papa, Francisco pediu que os templos católicos estejam “em contato com os lares, com a vida das pessoas, com a vida do povo”.

A reportagem é de Cameron Doody, publicada por Religión Digital, 01-09-2017. A tradução é de André Langer.

Acompanhado de imagens de uma comunidade católica em saída, atendendo “ao grito da terra e ao grito dos povos” – para tomar uma frase da Laudato Si’ –, o Pontífice propõe em seu convite à oração deste mês que a saída para a qual os católicos são chamados “siga uma proposta clara de fé”. “Trata-se de abrir as portas e deixar que Jesus saia com toda a alegria de sua mensagem”, afirma o Papa no vídeo.

A Rede Mundial de Oração do Papa, à qual as intenções do Pontífice são confiadas mensalmente, recorda que atualmente há mais de 200 mil paróquias ao redor do mundo onde os fiéis vivem a fé.

Entre os trabalhos destas paróquias, recordam os responsáveis pelo vídeo do Papa, figuram as das celebrações litúrgicas, a catequese, o trabalho social, a atenção e direção espiritual dos fiéis e o apostolado juvenil. Trabalhos que o Papa Francisco não deixou de impulsionar ao longo do seu pontificado, recordando mais de uma vez que “uma Igreja com as portas fechadas se trai a si mesma e a sua missão e, em vez de ser ponte, transforma-se em barreira”.

“Peçamos por nossas paróquias para que não sejam escritórios”, pede o Papa ao final do vídeo, a última remessa de uma série de clips que chegou a ter 18 milhões de acessos ao todo. Por outro lado, Francisco convida para rezar para que as paróquias sejam “animadas por um espírito missionário” que as converta em “lugares de transmissão da fé e testemunho da caridade”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Papa pede que as paróquias não sejam “escritórios”, mas lugares “em contato com o povo” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV