A Igreja da Inglaterra admitiu ter ocultado os abusos sexuais de um bispo

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • É verdade que o cardeal arcebispo do Rio de Janeiro assinou um acordo eleitoral com Bolsonaro?

    LER MAIS
  • Sete propostas de Jair Bolsonaro contrárias ao meio ambiente

    LER MAIS
  • UnB, USP e UFU aparecem pichadas com mensagens machistas, homofóbicas e racistas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

23 Junho 2017

O titular da Igreja da Inglaterra admitiu nesta quinta-feira que a instituição "fez um conluio" com o bispo Peter Ball, condenado por abuso sexual, para ocultar seus crimes durante décadas, após a publicação de um relatório independente que denunciou o ocultamento.

A informação é publicada por InfoBae, 22-06-2017. A tradução é de Henrique Denis Lucas.

Justin Welby, arcebispo da Cantuária, declarou que a Igreja Anglicana não ajudou "aqueles que foram corajosos ao denunciar os abusos", o que ele considerou como "chocante e inexplicável".

Ball foi condenado, em 2015, a 32 meses de prisão por crimes sexuais, realizados entre as décadas de 1970 e 1990, com pelo menos 18 jovens aspirantes ao clero, muitos deles menores de idade, e que ele os obrigava a rezarem nus. No entanto, ele foi liberado em fevereiro, após 16 meses atrás das grades.

O relatório denunciou que Ball "usou a religião como um disfarce" para realizar seus abusos e que a Igreja falhou em responder adequadamente durante um longo período. Além disso, acusou Ball de causar "danos graves e duradouros" na vida de muitos homens. "A Igreja, no seu nível hierárquico mais alto, apoiou-o de forma imprudente", sentenciou.

O documento aponta principalmente contra o ex-arcebispo Lord Carey, que considerou em uma carta escrita em 1993 que Ball era "basicamente inocente". Além disso, ao menos seis denúncias relatadas dentro da igreja não foram comunicadas à polícia e houve esforços para que elas não se tornassem públicas, priorizando a reputação da Igreja acima do apoio às vítimas.

Em um comunicado, Carey colocou seu cargo à disposição, considerando o relatório como "uma leitura profundamente incômoda" e desculpando-se com as vítimas. "Acreditei na versão de Peter Ball e dei muito pouca credibilidade às denúncias de jovens e crianças vulneráveis", reconheceu.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A Igreja da Inglaterra admitiu ter ocultado os abusos sexuais de um bispo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV