Filme sobre os missionários no Japão. Papa recebe o diretor de cinema Martin Scorsese

Revista ihu on-line

Gênero e violência - Um debate sobre a vulnerabilidade de mulheres e LGBTs

Edição: 507

Leia mais

Os coletivos criminais e o aparato policial. A vida na periferia sob cerco

Edição: 506

Leia mais

Giorgio Agamben e a impossibilidade de salvação da modernidade e da política moderna

Edição: 505

Leia mais

Mais Lidos

  • A morte anunciada (e nunca ocorrida) do neoliberalismo. Artigo de Roberto Esposito

    LER MAIS
  • “Sinto-me o cardeal de Romero. Ele é um ícone da Igreja”, afirma novo purpurado de El Salvador

    LER MAIS
  • A técnica avança rápido demais e vai mudar nossa alma. Entrevista com Gianfranco Ravasi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

02 Dezembro 2016

O Papa Francisco recebeu, nesta manhã, o diretor de cinema Martin Scorsese, autor de um novo filme sobre os jesuítas no Japão do século XVII, “Silence”, que foi apresentado ontem, em uma estreia com um grupo de jesuítas no Pontifício Instituto Oriental.

A reportagem é de Iacopo Scaramuzzi, publicada por Vatican Insider, 30-11-2016. A tradução é do Cepat.

O encontro com o Papa ocorreu no dia 30 de novembro pela manhã, às 8h45 (antes da Audiência Geral), no Palácio Apostólico. Scorsese, apontou a Sala de Imprensa vaticana, estava acompanhado de sua esposa, suas duas filhas e do produtor do filme (também em companhia de sua esposa). Os visitantes foram recebidos por monsenhor Dario Edoardo Viganò, prefeito da Secretaria para a Comunicação. O encontro foi muito “cordial” e durou ao redor de 15 minutos. O Papa contou aos presentes que havia lido “Silêncio”, o romance do escritor japonês Shusaku Endo, publicado em 1966 e no qual o novo filme de Scorsese se inspira. Em seguida, o Papa “falou sobre a “semeadura” dos jesuítas no Japão e também sobre o Museu dos 26 mártires”. O diretor de cinema, por sua parte, presenteou o Papa com dois quadros relacionados ao tema dos “cristãos ocultos”, um deles “representa a imagem muito venerada de Nossa Senhora, obra de um artista japonês do século XVIII”. O Papa presenteou seus visitantes com alguns rosários.

Ontem, no Twitter, o jesuíta James Martin mencionou que Scorsese apresentou “Silence” na Aula do Pontifício Instituto Oriental. Um grupo de jesuítas de todo o mundo participou. Hoje à tarde, na filmoteca vaticana, será projetado pela segunda vez para uns quarenta convidados de Scorsese.

O filme, que será estreado nas salas dos Estados Unidos no próximo dia 23 de dezembro, se inspira no romance do escritor japonês Shusaku Endo, publicado em 1996, e narra as peripécias do missionário jesuíta português Sebastian Rodrigues, enviado ao Japão durante o século XVIII, para onde justamente um jesuíta, São Francisco Xavier, um dos companheiros do fundador da Companhia de Jesus, Santo Inácio, levou a fé cristã em 1549. O jesuíta e outros dois de seus companheiros, interpretados pelos atores Garfield, Adam Driver e Liam Neeson, sofrem a perseguição em razão de sua fé. Scorsese também fez outro filme sobre o cristianismo: “A última tentação de Cristo” (de 1988).

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Filme sobre os missionários no Japão. Papa recebe o diretor de cinema Martin Scorsese