Rainha da Jordânia rebate charge de Charlie Hebdo sobre menino sírio afogado

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Uma visão do suicídio no Brasil em resposta à outra visão apresentada

    LER MAIS
  • "É hora de reaprender a arte de sonhar com os xamãs nativos"

    LER MAIS
  • Não tenho nenhuma esperança de que o Governo Bolsonaro ainda se empenhe em transmutar sua visão a respeito da Amazônia. Entrevista com Dom Erwin Krautler

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


18 Janeiro 2016

Rainha Rania, da Jordânia, publicou um desenho em sua conta no Twitter como reação à charge do semanário satírico francês Charlie Hebdo sobre o menino sírio Alan Kurdi, que morreu afogado em uma praia da Turquia.

A reportagem foi publicada por BBC Brasil, 16-01-2016.

No desenho, de autoria do cartunista jordaniano Osama Hajjaj, o menino sírio aparece retratado como um médico quando adulto.

No tuíte que acompanha a charge, Rania escreveu que "Alan poderia ter sido um médico, um professor, um pai amoroso".

A postagem foi uma resposta ao Charlie Hebdo que publicou nesta semana uma charge que retrata um homem correndo atrás das mulheres e diz que, se tivesse sobrevivido, Alan seria "apalpador de nádegas na Alemanha" quando adulto.

A charge francesa faz referência ao episódio ocorrido na cidade alemã de Colônia durante o Ano Novo, quando mulheres foram vítimas de assédio sexual, roubo e estupro por grupos de refugiados.

Parentes de Alan, que vivem no Canadá, afirmaram estar revoltados com a charge.

No entanto, algumas pessoas interpretaram o desenho como uma crítica à forma como a mídia muda rapidamente de opinião sobre os refugiados.

Não é a primeira vez que o semanário francês retrata o menino sírio em suas charges. Em uma delas, o corpo de Alan aparece estirado na areia da praia próximo a um anúncio do McDonald's com a legenda: "Tão perto".

A fotografia do menino sírio de dois anos morto em uma praia da Turquia no ano passado provocou comoção mundial sobre a crise humanitária envolvendo refugiados.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Rainha da Jordânia rebate charge de Charlie Hebdo sobre menino sírio afogado - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV