Lideranças indígenas e povos tradicionais criticam tramitação da PEC 215

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • Refazer os padres, repensando os seminários. Artigo de Erio Castellucci

    LER MAIS
  • Por que os bispos dos EUA não defendem o Papa Francisco dos ataques das mídias estadunidenses?

    LER MAIS
  • PEC 32: ‘terceira via’ e bolsonaristas se unem contra servidores, diz analista

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


30 Novembro 2015

Lideranças indígenas, representantes do poder Legislativo, de entidades que atuam em defesa dos direitos dos povos tradicionais e membros do Ministério Público Federal (MPF) criticaram ontem (27) a aprovação, no fim de outubro, da Proposta de Emenda à Constituição PEC 215, na comissão especial destinada a analisar o tema na Câmara dos Deputados.

A reportagem foi publicada por Agência Brasil, 27-11-2015.

Pela proposta, o Congresso Nacional passa a dar a palavra final sobre a demarcação de terras indígenas, de remanescentes de comunidades quilombolas e de reservas. A audiência pública convocada pelo Ministério Público foi a primeira para discutir o tema depois que a PEC foi aprovada na comissão. Não havia representantes favoráveis à proposta.

A subprocuradora-geral da República Deborah Duprat ressaltou que o MPF já emitiu nota técnica contrária à PEC 215, alegando que ela é inconstitucional. “A proposta tem vício da separação de poderes, dos limites da democracia – porque uma maioria não poder suprimir direitos de uma minoria”, afirmou.

“O MPF acredita que ela não será aprovada, acredita no bom senso dos parlamentares, e que ela não passa nem na Câmara e nem no Senado”, acrescentou Duprat, coordenadora da Câmara de Povos Indígenas e Comunidades tradicionais do MPF.

Siruem Xerente, do povo xerente de Tocantins, disse que emenda anula os direitos dos povos indígenas. “Nós não temos representantes no Congresso. E o problema não é apenas o avanço do agronegócio, mas também a exploração dos recursos hídricos, minerais e as madeiras que estão nos territórios dos povos indígenas”, afirmou.

Os participantes da audiência também criticaram a criação, na Câmara, da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar as ações da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Instituto de Colonização e Reforma Agraria (Incra). Segundo licenças indígenas, é uma “estratégia” para aprovar a PEC 215.

“A CPI é para dizer que que a Funai é falida, corrupta e não dá mais conta do procedimento de demarcação de terras. É uma forma que eles encontraram de justificar a PEC. Nós não somos a favor da CPI. Se tem alguma irregularidade, o governo brasileiro tem que investigar. Mas não é a comissão que vai resolver o problema”, afirmou o cacique Marcus Xucuru, da etinia Xucuru, de Pernambuco.

A CPI da Funai e do Incra foi criada no início deste mês para investigar supostas irregularidades no processo de demarcação de terras indígenas, em especial os estudos antropológicos, necessários para a demarcação.

“A instalação da CPI contra a Funai e o Incra, nesse momento, é para dizer que o que se produziu sobre terras indígenas e terras de quilombos é fraudulento, passível de crimanalização, a os antropólogos que produziram esses documentos podem ser criminalizados”, disse o presidente da Associação Brasileira de Antropologia, Antonio Carlos de Souza.

A aprovação definitiva da PEC 215 ainda depende de dois turnos de votação nos plenários da Câmara e do Senado, com quórum qualificado, ou seja, com os votos de, pelo menos, 308 deputados e 49 senadores.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Lideranças indígenas e povos tradicionais criticam tramitação da PEC 215 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV