Manifestantes são 'filhos rebeldes' de Lula e Dilma, diz 'El País'

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • “O que acumulamos e desperdiçamos é o pão dos pobres”, afirma o papa Francisco em carta à FAO

    LER MAIS
  • Metade dos brasileiros vive com R$ 413 mensais

    LER MAIS
  • O Sínodo nos ajuda a entender que a solução não está no Direito Canônico, mas na profecia

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

23 Junho 2013

Um artigo de opinião publicado no portal do jornal espanhol El País diz que os protestos que sacodem o Brasil são os "filhos rebeldes" do ex-presidente Lula e da atual mandatária Dilma Rousseff.

A reportagem é da BBC Brasil, 19-06-2013.

"Lula e Dilma são como pais que se sentem orgulhosos de ver seus filhos saírem da penúria, ingressarem na universidade e poderem levar no bolso um celular e as chaves de uma moto ou de um carro", diz o artigo, assinado pelo correspondente Juan Arias.

"Os filhos cresceram, começaram a saber mais coisas da vida e da política de seus pais, e a dominar melhor que eles (os pais) todos os labirintos endiabrados da tecnologia da informação moderna".

Em sua analogia, Arias diz que, ao crescerem, "os filhos" começaram a fazer perguntas ao pais e, "pior", começaram a discordar deles.

"Chegaram ao extremo de reclamar do que ainda não tinham ganhado ou de que o que tinham estava estragado, diziam que o brinquedo não funcionava bem".

O texto menciona que Lula chegou a elogiar o sistema de saúde do Brasil com uma frase que "hoje ele preferiria esquecer". Segundo o artigo, em uma ocasião, o ex-presidente teria dito que o sistema teria chegado "quase à perfeição" e que no Brasil "algumas pessoas tinham até vontade de ficar doentes para desfrutar de um hospital".

"Os filhos um dia foram a esses hospitais e viram que era melhor estar saudáveis", diz o texto.

'Precisamos ouvi-los'

O artigo do El País ainda diz que os "filhos", que "subiam nos ônibus pagando caro, sendo empurrados, alguns tentando entrar pelas janelas, 'eles' com perigo de serem assaltados e 'elas' abusadas sexualmente, em vez de alegrarem-se com os estádios de primeiro mundo começaram a dizer que poderiam abrir mão da Copa, mas não de transportes, escolas, e hospitais dignos".

O texto diz que a reação da presidente, que afirmou na terça-feira que o governo "está atento às vozes que pedem mudanças", se assemelha ao tom de pais que, quando conversam sobre os filhos que se rebelam, dizem entre si: "precisamos ouvi-los".

O correspondente estima que todos esses assuntos que foram levantados durante os protestos devem ter dominado o encontro de Dilma e Lula na terça-feira à noite.

"Sem dúvida, Dilma e Lula terão saído do encontro com essa vontade de escutar, de dialogar com os filhos rebeldes", diz o artigo, acrescentando que o temor agora é de que talvez os filhos já não queiram conversa e prefiram falar por si mesmos.

"É um momento difícil e ao mesmo tempo apaixonante que o Brasil atravessa. Os aspectos positivos dos protestos que já abraçam quase o país inteiro poderiam servir de exemplo aos países vizinhos".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Manifestantes são 'filhos rebeldes' de Lula e Dilma, diz 'El País' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV