“Anunciar a Boa Notícia aos pobres”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • O fenômeno dos padres fisiculturistas e estrelas das redes sociais

    LER MAIS
  • “O Papa me disse: Deus ama os filhos homossexuais como eles são”

    LER MAIS
  • Francisco para os pais e mães de homossexuais: “A Igreja ama os vossos filhos do jeito que eles são, porque são filhos de Deus”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


25 Janeiro 2019

Muitas pessoas já tentaram escrever a história dos acontecimentos que se passaram entre nós. Elas começaram do que nos foi transmitido por aqueles que, desde o princípio, foram testemunhas oculares e ministros da palavra. Assim sendo, após fazer um estudo cuidadoso de tudo o que aconteceu desde o princípio, também eu decidi escrever para você uma narração bem ordenada, excelentíssimo Teófilo. Desse modo, você poderá verificar a solidez dos ensinamentos que recebeu.

Jesus voltou para a Galileia, com a força do Espírito, e sua fama espalhou-se por toda a redondeza. Ele ensinava nas sinagogas, e todos o elogiavam. Jesus foi à cidade de Nazaré, onde se havia criado.

Conforme seu costume, no sábado entrou na sinagoga, e levantou-se para fazer a leitura. Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, Jesus encontrou a passagem onde está escrito:

"O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa Notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos, e para proclamar um ano de graça do Senhor." Em seguida Jesus fechou o livro, o entregou na mão do ajudante, e sentou-se. Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos nele.

Então Jesus começou a dizer-lhes:

- "Hoje se cumpriu essa passagem da Escritura, que vocês acabam de ouvir".

Leitura do Evangelho de Lucas 4,1-4; 4,14-21. (Correspondente ao 3° Domingo Comum, do ciclo C do Ano Litúrgico).

O comentário é de Ana Maria Casarotti, Missionária de Cristo Ressuscitado.

 

“Anunciar a Boa Notícia aos pobres”

Neste domingo inicia-se a leitura do evangelho de Lucas com o prólogo o qual nos revela o sentido dos evangelhos. Entre os cristãos do Primeiro Século havia várias tendências que tentavam escrever e organizar as coisas que Jesus fez e ensinou: Muitas pessoas já tentaram escrever a história dos acontecimentos que se passaram entre nós.

Os evangelhos não são uma biografia de Jesus, como tantas vezes se pensou, nem também uma síntese do que Ele fez e disse. Os evangelhos são uma "boa notícia" para nós, homens e mulheres do século XXI!

São os relatos da experiência de fé das primeiras comunidades cristãs a partir da Ressurreição de Jesus. Constituem uma mensagem baseada no passado, interpretada à luz do presente (a vida das primeiras comunidades) e com vistas ao futuro (a Igreja posterior).
Como disse Frei Gilvander Luis Moreira  “Lucas não quer, em momento algum, espiritualizar a proposta do Evangelho de Jesus Cristo, mas inseri-la nos processos orgânicos de libertação. A salvação que Lucas defende não é aparente, como diz o povo: “Peruca em cabeça de careca”.[...] A salvação universal se estende a tudo e a todos, não porque o povo judeu a recusou, mas porque está no plano salvífico de Deus favorecer toda a humanidade. O plano salvífico, segundo Lucas, começa com o movimento de Jesus Cristo, no evangelho, e continua nos Atos dos Apóstolos sob a ação do Espírito prolongando-se nas Igrejas pelo mundo afora. Texto disponível: Evangelho de Lucas: libertar-salvar, agora e na prática

Lucas não foi discípulo direto de Jesus. O texto que lemos hoje responde às tradições existentes, transmitidas por aqueles que, desde o princípio, foram testemunhas oculares. Depois como os autores gregos daquele tempo, para demonstrar a credibilidade e a solidez do que vai apresentar, fez "um estudo cuidadoso de tudo o que aconteceu desde o princípio".

Lucas dedica seu evangelho ao "excelentíssimo Teófilo" (amigo de Deus), e nele cada um/a de nós pode se sentir incluído e interpelado. A segunda parte do texto de hoje nos conduz à Galileia, terra dos excluídos, mais precisamente na cidade de Nazaré, onde Jesus tinha crescido. E como qualquer homem judeu de sua época, no sábado vai à sinagoga.

Nos primeiros quatro capítulos do evangelho percebe-se a intensa presença e ação do Espírito, culminando em Jesus, que se sente investido e ungido por ele (4,18).

Como escreve Frei Gilvander Moreira: "Nas dezesseis vezes em que o Espírito Santo é mencionado no evangelho de Lucas, observamos que algumas pessoas são movidas pelo Espírito, tais como João Batista, Maria, Isabel, Zacarias e Jesus (Lc 1,35.41.67). Jesus nasce em meio a pessoas repletas do Espírito Santo.” “ Viver segundo o Espírito implica caminhar em um processo de humanização e fortalecimento. A ação do Espírito não é mágica como se ao invocá-lo ele descesse do céu sobre nós. Mas o Espírito de vida está presente em nós e no universo. Ele irrompe na comunidade a partir das entranhas dos fatos históricos." Texto disponível: Viver embalado pelo Espírito Santo, um dos traços da Teologia Lucana

A sinagoga de Nazaré é o lugar onde Jesus se proclamará com o Ungido de Deus, pela ação do Espírito Santo que está sobre ele. Há, portanto, um verdadeiro pentecostes no início do evangelho de Lucas. Lembremos que o início do livro dos Atos, escrito também por Lucas, descreve o Pentecostes da primeira comunidade cristã.

O mesmo Espírito que age em Jesus, age também na comunidade de seus seguidores e seguidoras, fazendo possível que a mesma vida e obras que Jesus viveu e realizou, sua comunidade vivesse e realizasse, e maiores ainda!

Para seus discípulos e discípulas, Jesus pede as mesmas condições que vemos no Evangelho. As palavras do profeta Isaías que Jesus lê descrevem seu projeto de vida: "O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa Notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos, a recuperação da vista; para libertar os oprimidos e para proclamar um ano de graça do Senhor".

O programa de Jesus beneficia diretamente aos pobres, desde o início de sua missão, ele se posiciona do lado deles, apresentando-se como seu libertador. Dessa maneira, Jesus nos revela o Amor preferencial de Deus pelos mais pobres e marginalizados, a quem não esquece; ao contrário, vem em seu Filho oferecer-lhes uma nova vida livre, digna, plena.

Lucas apresenta as seguintes condições para seguir Jesus: viver em pobreza radical, não temer repressões, não fazer discriminação racial ou cultural, acolher preferencialmente os pobres.

As últimas palavras de Jesus depois da leitura do profeta: "Hoje se cumpriu essa passagem da Escritura, que vocês acabam de ouvir", confirmam seu ser e missão e ecoam até hoje a atualidade dessas palavras.

A Igreja, ungida e movida pelo mesmo Espírito de Jesus, continua sua missão libertadora, continua tendo sentido ao longo dos séculos na medida em que assume como próprio o programa de vida de Jesus de Nazaré.

Oração

Junto com todos os jovens, especialmente aos que estiveram presente na Jornada Mundial da Juventude em Panamá, rezemos pela sua situação social y política. Que escutando as palavras de Jesus sejam portadores de uma mensagem de esperança na sua terra.

Presencia Universal

Te anuncias na palavra
e apareces no silêncio.

Manifestas teu amor no dom da vida,
esgotas tua entrega no dom de tua morte.

És deslumbrante no prodígio do dia,
nos fascinas no mistério da noite.

O cume de tua criação são os homens mais santos,
e de tua fidelidade, os homens mais perversos.

Expressão de tua força libertadora, os oprimidos,
e de tua paciência e respeito os opressores.

Inesgotável artista em todo o belo,
presença calada e forte no disforme.

Tuas possibilidades sem fim nos assinalam os gênios,
teu questionamento solidário os homens quebrados.

Só nos revelarás tua obra quando haja girado toda a história, / mas já podes iluminar de plenitude a fugacidade do instante.

Tu nos chamas sem fim desde o horizonte,
nos enches de tua presença em cada canto do caminho.

Nunca te agarrarei na cobiça da perfeição,
mas já transbordas de luz e futuro todo o meu limite.

Benjamin González Buelta SJB
Salmos para sentir e saborear as coisas internamente


Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Anunciar a Boa Notícia aos pobres” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV