Autópsia confirma assassinato do bispo nos Camarões e desmente suposto suicídio

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


12 Junho 2017

A investigação sobre as estranhas circunstâncias da morte de Dom Jean-Marie Benoit Balla, Bispo de Bafia, em Camarões, teve um avanço ao descartar a versão inicial de um suposto suicídio do prelado. A descoberta de um bilhete desviou inicialmente as investigações das autoridades, apesar de que a teoria do suicídio não se encaixava na integridade moral do bispo e não era crível para os católicos locais. A autópsia do prelado revelou uma morte violenta e possíveis sinais de tortura.

A informação é publicada por Gaudium Press, 09-06-2017. A tradução é de Henrique Denis Lucas.


Dom Jean-Marie Benoit Balla, Bispo de Bafia, em
Camarões. Foto: Arquidiocese de Yaoundé.

"Bispos não se suicidam", declarou abertamente o Arcebispo de Bamenda, dom Cornelius Esua, ao ser questionado sobre o caso. O prelado recordou que o bispo não demonstrava nenhum sinal de tendências suicidas ou de sofrer com alguma situação desesperadora que o levasse a acabar com sua vida.

As versões sobre o suposto suicídio foram identificadas pelo padre García Fernando, Superior Provincial dos xaverianos em Camarões, como uma estratégia para desacreditar a Igreja. "Aqui em Camarões há muitas realidades, movimentos ambíguos que buscam prejudicar a Igreja", indicou ao Vatican Insider. "Grupos muito fortes, vinculados ao poder ou a sociedades secretas, como a Ordem da Rosa Cruz. A morte de Balla permanece sendo um mistério".

O corpo de Dom Benoit Balla foi encontrado em um rio perto de Yaoundé, depois de estar desaparecido por vários dias. Perto dali, em uma ponte, o veículo do prelado foi abandonado, onde encontrou-se o bilhete dizendo "Não procurem por mim. Estou na água". Em contradição com a montagem de um suposto suicídio, a autópsia não encontrou nenhuma evidência de morte por afogamento.

Segundo os especialistas, o corpo do prelado estava na água a menos de quatro horas. A posição dos braços descarta a possibilidade de que houvesse lutado para sair da água. "O Bispo Balla foi torturado e brutalmente assassinado", determinou a autópsia de acordo com a Bareta News.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Autópsia confirma assassinato do bispo nos Camarões e desmente suposto suicídio - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV