Violência de Gênero na Nicarágua. Lançada a Campanha “O valente não é violento”

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • A CNBB urge o governo a tomar “medidas sérias para salvar uma região determinante no equilíbrio ecológico do planeta”

    LER MAIS
  • Planeta em chamas. Artigo de Eliane Brum

    LER MAIS
  • 10 mapas e imagens de satélite internacionais que mostram a dimensão das queimadas no Brasil

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 22 Novembro 2013

As Nações Unidas, na América Latina e Caribe, buscam uma forma de contribuir com a redução da violência contra as mulheres e, para isso, a representação do Fundo da ONU, na Nicarágua, na semana passada, lançou uma campanha intitulada “O Valente não é Violento”, que espera atingir cem mil jovens, por meio de ações diretas e indiretas, durante três semanas.

 
Fonte: http://goo.gl/KxmdPS  

A reportagem é de Trindad Vásquez, publicada pela Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação, 21-11-2013. A tradução é do Cepat.

A campanha conta com o apoio de artistas e cantores e procura sensibilizar a população a respeito do grave problema da violência contra as mulheres, seja verbal, psicológica e/ou física. A iniciativa constitui um grande desafio para a Nicarágua. No país, segundo analistas, uma em cada dez mulheres, entre 15 e 19 anos, sofre ou já sofreu três tipos de violência: psicológica, física e a sexual. E uma em cada três é adolescente em idade entre 15 e 19 anos.

Também a ONG Mulheres Católicas pelo Direito de Decidir, destaca que no país, a cada cinco dias, ocorre um feminicídio. Até o dia 6 de novembro, a organização havia contabilizado 60 feminicídios, dos quais 22 foram perpetrados pelas mãos de seus parceiros e nove por desconhecidos.

A campanha na Nicarágua é dirigida aos adultos e jovens para que reflitam sobre suas atitudes e se tornem aliados na erradicação da violência contra as mulheres. David Orozco, analista em políticas públicas, disse que serão distribuídas guias com mensagens chaves nas mãos de 130 jovens promotores e em 43 municípios do país.

Markus Behebrend expressou que a campanha “O valente não é violento” se baseia na comunicação para a mudança social, na tolerância zero à violência contra as mulheres e com a presença nas redes sociais.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Violência de Gênero na Nicarágua. Lançada a Campanha “O valente não é violento” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV