Papa exibe bandeira de Bucha ensanguentada e denuncia “as atrocidades” ali cometidas

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • As sete pistas do Papa Francisco para viver o Advento

    LER MAIS
  • Desmatamento, trabalho escravo e incentivo da ditadura: o que está por trás dos megapecuaristas do Brasil

    LER MAIS
  • Começa processo para caçar vereador que ameaçou Frei Sérgio de morte no Rio Grande do Sul

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


06 Abril 2022

  

  • "As notícias recentes sobre a guerra na Ucrânia, em vez de proporcionar alívio, testemunham nossas atrocidades, como o massacre de Bucha. Crueldade cada vez mais horrenda, perpetrada contra civis desarmados, mulheres e crianças".

  • "São vítimas cujo sangue inocente clama aos céus e implora o fim desta guerra, silenciar as armas, parar de semear a morte e a destruição".

  • "Estas crianças tiveram que fugir e vir para uma terra em paz. Este é um dos frutos da guerra. Não vamos esquecer isso e não vamos esquecer o povo ucraniano. É difícil ter que deixar sua própria terra para uma guerra".

 

A reportagem é de José Manuel Vidal, publicada por Religión Digital, 06-04-2022. 

 

O Papa Francisco encerrou a grande audiência das quartas-feiras com três gestos, do tipo que tocam o coração e quebram o teto de vidro da grande mídia: uma bandeira ensaguentada da cidade ucraniana martirizada de Bucha, um grupo de crianças refugiadas ucranianas que ele trouxe para o palco do tribunal com ele e deu de presente de ovos de Páscoa para as crianças. E sua denúncia verbal contra "as atrocidades de Bucha e a crueldade cada vez mais horrenda contra civis desarmados, mulheres e crianças". Seu "sangue inocente clama ao céu e implora o fim desta guerra, silenciar as armas, parar de semear morte e destruição"

 

 (Foto: Vatican Media)

 

Texto completo das declarações do Papa

 

As notícias recentes sobre a guerra na Ucrânia, em vez de trazer alívio, testemunham nossas atrocidades, como o massacre de Bucha. Crueldade cada vez mais horrenda, perpetrada contra civis desarmados, mulheres e crianças. São vítimas cujo sangue inocente clama aos céus e implora o fim desta guerra, silenciar as armas, parar de semear a morte e a destruição. 

Oremos juntos por isso.

Ontem, precisamente de Bucha, trouxeram-me esta bandeira daquela cidade martirizada. Aqui estão algumas crianças ucranianas que estão conosco, vamos cumprimentá-las e rezar com elas.

Essas crianças tiveram que fugir e chegar a uma terra pacífica. Este é um dos frutos da guerra. Não esqueçamos e não esqueçamos o povo ucraniano. É difícil ter que deixar a própria terra por causa de uma guerra. 

 

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa exibe bandeira de Bucha ensanguentada e denuncia “as atrocidades” ali cometidas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV