Iraque: Governo institui Dia Nacional da Tolerância e Coexistência

Mais Lidos

  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

08 Março 2021

O primeiro-ministro do Iraque, Mustafa Al-Khadimi, anunciou hoje a instituição de Dia Nacional da Tolerância e Coexistência, através de uma publicação na sua conta do Twitter.

A reportagem é publicada por Agência Ecclesia, 06-03-2021.

O líder do executivo adianta que a celebração vai ser assinalada a 6 de março, evocando encontro entre grande aiatolá Al-Sistini e o Papa Francisco na cidade de Najaf, uma das mais santas para o Islã xiita.

“Em comemoração do histórico encontro em Najaf entre o aiatola Ali Al-Sistani e o Papa Francisco, e da histórica celebração inter-religiosa na antiga cidade de Ur, declaramos o 6 de março um Dia Nacional de Tolerância e Coexistência no Iraque”, escreveu Al-Khadimi.

A respeito do encontro entre o Papa e Al-Sistani, o sacerdote iraquiano Ameer Jaje, diretor da secção árabe da Universidade Dominicana Internacional em Paris, disse à fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) que os dois responsáveis “têm um papel importante na paz e na estabilidade”.

O religioso liderou a organização da viagem do Papa à cidade de Ur, local de nascimento de Abraão.

Al-Sistani foi, por exemplo, uma força importante para a paz entre 2006 e 2008, durante a guerra civil do país. Ele até emitiu uma fatwa pedindo o fim do ciclo de violência”, destacou o padre Ameer Jaje, numa entrevista enviada pela AIS.

Para o especialista, “o simbolismo deste encontro vale mais do que qualquer assinatura” de declarações conjuntas.

Para a minoria cristã no Iraque, este encontro representa a esperança de que o país, dominado por milícias xiitas, “abrace o pluralismo e a diversidade”, destaca a fundação pontifícia.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Iraque: Governo institui Dia Nacional da Tolerância e Coexistência - Instituto Humanitas Unisinos - IHU