Bispo católico ucraniano na Itália: “O mundo não faz nada porque tem medo da bomba atômica”

Mais Lidos

  • “O governo de Milei é um governo-isca”. Entrevista com Magdalena Chirom

    LER MAIS
  • O papa ainda está vivo, mas os abutres começam a circular. Artigo de Robert Mickens

    LER MAIS
  • O sacerdócio não é a solução. Artigo de Luigino Bruni

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

07 Março 2022

 

Dom Dionisio Lachovicz fala à Tv2000: “Eles preferem que morra um único país do que o mundo inteiro. O apocalipse hoje é real. O povo ucraniano clama por ajuda. Não bastam as palavras e as sanções. É preciso algo mais, mas o mundo não pode fazer nada, porque existe o perigo da bomba atômica e de um apocalipse”.

 

A reportagem é de Tv2000, 04-03-2022. A tradução é de Moisés Sbardelotto

.

Foi o que afirmou Dom Dionisio Lachovicz, exarca apostólico dos fiéis católicos ucranianos de rito bizantino residentes na Itália, convidado do programa “Diario di Papa Francesco”, no canal italiano Tv2000 [assista abaixo em italiano].

 

 

“Estamos vivendo um momento dramático”, acrescentou Dom Lachovicz. “A Ucrânia está martirizada e luta sozinha contra o império russo. Eles preferem que uma morra uma única nação do que o mundo inteiro. O mundo foi ameaçado pela bomba atômica e agora tem medo de interferir nessa guerra.”

“A esperança”, concluiu Dom Lachovicz, “é a última que morre e vê o futuro”, mas “o apocalipse hoje não é apenas simbólico, é real. Se a guerra atômica eclodir, acabará a vida nesta terra.”

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bispo católico ucraniano na Itália: “O mundo não faz nada porque tem medo da bomba atômica” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU