"É significativo que o Papa se refira aos abusos como um crime, e não só um pecado", afirma Greg Burke

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • As sete pistas do Papa Francisco para viver o Advento

    LER MAIS
  • Desmatamento, trabalho escravo e incentivo da ditadura: o que está por trás dos megapecuaristas do Brasil

    LER MAIS
  • Começa processo para caçar vereador que ameaçou Frei Sérgio de morte no Rio Grande do Sul

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Agosto 2018

“É para Irlanda, para os Estados Unidos, para o Chile, mas não somente. O Papa Francisco escreveu a todo o Povo de Deus e isso significa a todos e a cada um."

A reportagem foi publicada por Religión Digital, 20-08-2018. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Sobre a Carta do Papa dirigida ao Povo de Deus, e publicada neste 20 de agosto, na qual o Pontífice reafirma mais uma vez o sofrimento vivido por muitos menores por causa de abusos sexuais, de poder e de consciência cometidas por “um notável número de clérigos e pessoas consagradas”, o compromisso para garantir a proteção dos menores e dos adultos em situação de vulnerabilidade, Greg Burke, o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, destaca o seguinte:

“É para Irlanda, para os Estados Unidos, para o Chile, mas não somente. O Papa Francisco escreveu a todo o Povo de Deus e isso significa a todos e a cada um. É significativo que o Papa se refira aos abusos como um crime, não só um pecado, e que pede perdão. Porém ele é muito consciente de que todos os esforços não serão suficientes para reparar o dano feitos às vítimas”.

“O Papa escutou – adiciona – a muitas vítimas ao decorrer dos anos, e isso claramente se percebe na carta”.

O Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé destaca as palavras do Pontífice sobre a prescrição dos delitos e da prestação de contas por parte dos culpados.

“O Papa destaca: ‘as feridas nunca prescrevem’”. “Diz que se necessita urgentemente que os culpados prestem contas: não somente os que cometeram esses crimes, mas sim também aqueles que os encobriram, o que em muitos casos incluem-se bispos”.

E conclui:

“Ademais de fazer um chamado à toda Igreja Católica para que se adote as medida de proteção necessárias em todas as instituições, o Papa também pede que todos os crentes se coloquem por si mesmos, com as armas tradicionais para combater o mal: oração e penitência”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

"É significativo que o Papa se refira aos abusos como um crime, e não só um pecado", afirma Greg Burke - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV