“As vítimas devem saber que o Papa está ao lado delas. Os que sofreram são a sua prioridade, e a Igreja quer escutá-los para erradicar este trágico horror”

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

17 Agosto 2018

A Sala de Imprensa da Santa Sé, 16-08-2018, divulgou a seguinte nota. A tradução é de Graziela Wolfart.

“Diante do relatório publicado na Pensilvânia esta semana, há duas palavras que podem expressar os sentimentos frente a estes crimes horríveis: vergonha e dor.

A Santa Sé leva muito a sério o trabalho do Investigating Grand Jury da Pensilvânia e do longo relatório que elaborou. A Santa Sé condena claramente o abuso sexual de menores.

Basílica de São Pedro (Foto: Reprodução/ Facebook)

Os abusos descritos no relatório são criminal e moralmente reprováveis. Estes fatos traíram a confiança e roubaram a dignidade e a fé das vítimas. A Igreja deve aprender duras lições de seu passado, e deveria ter noção de responsabilidade (responsabilização) tanto por parte dos abusadores, como por parte daqueles que permitiram que acontecesse.

A maior parte do relatório se refere a abusos cometidos antes dos primeiros anos da década de 2000. Não encontrando muitos casos depois de 2002, as conclusões do Grande Júri são coerentes com estudos anteriores, que mostram como as reformas feitas pela Igreja Católica nos Estados Unidos reduziram drasticamente a incidência dos abusos cometidos pelo clero. A Santa Sé motiva a postura de constante reforma e vigilância em todos os níveis da Igreja Católica, para garantir a proteção dos menores e dos adultos vulneráveis. Salienta também a necessidade de obedecer a legislação civil, inclusive a obrigação de denunciar os casos de abusos a menores.

O Santo Padre compreende bem quanto estes crimes podem sacudir a fé e o ânimo dos fieis, e reitera o apelo para que se façam todos os esforços possíveis para criar um ambiente seguro para os menores e adultos vulneráveis na Igreja e em toda a sociedade.

As vítimas devem saber que o Papa está ao lado delas. Aqueles que sofrem são sua prioridade, e a Igreja quer escutá-los para acabar com este trágico horror que destrói a vida dos inocentes.”

Leia mais

 

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“As vítimas devem saber que o Papa está ao lado delas. Os que sofreram são a sua prioridade, e a Igreja quer escutá-los para erradicar este trágico horror” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU