Viagem de Francisco a Fátima será curta, porém relevante

Revista ihu on-line

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Mais Lidos

  • 'Eu nunca recusei a Eucaristia a ninguém. A comunhão não é um prêmio para os perfeitos'. Entrevista com o papa Francisco voltando da Eslováquia para Roma

    LER MAIS
  • Papa Francisco: “Vacinas, há negacionistas até entre os cardeais. Matrimônio só homem-mulher, mas uniões civis homoafetivas possíveis”

    LER MAIS
  • Alemanha. Dom Stefan Hesse: renúncia rejeitada

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


11 Mai 2017

A visita do Papa Francisco a Fátima de 12 a 13 de maio é considerada por muitos analistas como a sua viagem mais fácil ao exterior, até agora, com uma segurança não tão alta quanto em sua visita a uma zona de guerra ativa, quando ele foi para a República Centro-Africana, nem com tanta carga política quanto em sua viagem de dois dias ao Egito no mês passado. No entanto, está longe de ser irrelevante.

A reportagem é de Inés San Martín, publicada por Crux, 10-05-2017. A tradução é de Luísa Flores Somavilla.

O Papa Francisco está em direção a Fátima, Portugal, para o que será a viagem mais curta de seu pontificado, com dois dias . Ele ficará lá por apenas 25 horas para celebrar o 100º aniversário das famosas aparições da Virgem Maria a três jovens pastores, que se tornaram o centro de uma das mais célebres devoções católicas no mundo.

Por falar em pastores, ele tornará santos dois deles, Jacinta e Francisco Marto, durante uma missa no sábado, em que são esperadas 400.000 pessoas. Eles serão os dois santos não mártires mais jovens na história da Igreja.

Esta está sendo considerada por muitos analistas como a viagem mais fácil de Francisco ao exterior, até agora, com uma segurança não tão alta quanto em sua visita a uma zona de guerra ativa, quando ele foi para a República Centro-Africana, nem com tanta carga política quanto em sua viagem de dois dias ao Egito no mês passado. No entanto, está longe de ser irrelevante.

O Porta-voz papal Greg Burke disse a jornalistas no início desta semana que a viagem de Francisco, de 12 a 13 de maio, é muito mais uma "peregrinação" do que uma visita apostólica.

Haverá poucas paradas papais quando ele estiver em Portugal: somente uma recepção de 20 minutos com o presidente português e outras autoridades civis, uma missa ao ar livre e um almoço com os bispos locais.

Porém, não haverá nenhuma parada em prisões ou hospitais pediátricos, nenhuma reunião improvisada com religiosos e jovens e nenhum gesto inter-religioso ou ecumênico específico.

À primeira vista, a história da aparição de Fátima é simples. Em 1917, três crianças, Lucia de Santos, com 10 anos, e seus dois primos, os Marto, com sete e nove anos de idade, viram Maria, que se identificou como "Nossa Senhora do Rosário".

Os três estavam pastoreando ovelhas em um campo chamado Cova de Iria, razão pela qual muitas vezes eles são chamados "Pastorzinhos de Fátima". Os irmãos Marto morreram logo após as aparições, e Lucia tornou-se carmelita e morreu em 2005, com 97 anos.

Durante as seis vezes em que a Virgem apareceu para os pastorinhos, ela pediu para que eles rezassem o terço e pedissem penitência pela conversão dos pecadores e a consagração da Rússia ao seu imaculado coração.

Os três tópicos devem estar no coração de Francisco durante a sua visita. Como forte devoto Mariano, ele pediu que os católicos rezassem o terço inúmeras vezes e colocassem em prática o que a Igreja chama de obras de misericórdia.

Em relação à Rússia, ele não deve consagrá-la ao coração de Maria nesta viagem, e por várias razões políticas e ecumênicas, não deve sequer mencionar a Rússia. No entanto, ao perceber que, pelo que consta, ele está dizendo que quer visitar o país, Francisco deve pelo menos pensar na nação enquanto estiver em Fátima.

Uma quarta questão recorrente das mensagens de Fátima, a questão da paz mundial através de Maria, provavelmente ganhará destaque.

Nossa Senhora do Rosário também deu aos pastores três "segredos", um dos quais até hoje continua sendo contestado, já que grupos isolados de católicos duvidam que ele tenha sido revelado completamente durante o grande Jubileu do ano 2000, como afirma o Vaticano. Apesar disso, Roma e a própria irmã Lúcia afirmaram repetidamente que não há mais nada a dizer.

De acordo com a interpretação Católica oficial - e muito simplificadamente - os três segredos envolvem o inferno, as duas guerras mundiais e a tentativa de assassinato do Papa João Paulo II em 1981, que aconteceu na festa de Nossa Senhora de Fátima.

A viagem encerra as celebrações do 100º aniversário das aparições, e como disse o Bispo de Leiria-Fátima em uma entrevista recente, o centenário "não estaria completo sem a presença do Papa", já que ele é uma "parte da mensagem de Fátima".

A figura do Papa está presente na mensagem tanto porque a Virgem pediu orações para o Pontífice quanto como a figura descrita como o "Bispo de branco" que lidera uma Igreja peregrina que é perseguida.

"O centenário é uma data memorável, inesquecível para agradecer a Deus por todos os dons que a mensagem de Fátima espalhou por Portugal e também em todo o mundo", disse o Bispo Antônio dos Santos Marto, de Leiria-Fátima, em uma entrevista recente.

Durante sua breve estada em Portugal, Francisco vai discursar publicamente em quatro ocasiões: logo depois de chegar, ele fará uma oração e um discurso curto no lugar conhecido como a capela das aparições, considerada o "coração" do Santuário de Fátima.

É nesse lugar que Nossa Senhora do Rosário apareceu para os pastorzinhos em cinco das seis vezes.
No sábado, ele fará a homilia durante a missa de canonização e logo depois receberá um grupo de pessoas doentes.

Muitos têm se perguntado sobre o rosto "rabugento" dos dois pastorzinhos em seus retratos oficiais. O especialista em milagres Michael O'Neill reconheceu que é lamentável, já que sua canonização pode ajudar a estimular a fé de jovens adultos e crianças. A razão por trás disso, disse ele, é simples: não há nenhuma foto dos dois sorrindo.

"Mas eles viram o inferno... Imagino que ninguém que tenha visto o inferno ficaria muito animado", disse ele à Crux.

O especialista mariano observou também como Francisco e seus dois predecessores imediatos demonstraram "amor a estas crianças visionárias, quase mais do que a qualquer outro santo de hoje em dia".

João Paulo II os beatificou em 2000, Bento XVI foi a Fátima em 2010, para marcar o décimo aniversário da sua beatificação, e Francisco aprovou rapidamente sua canonização, fazendo-a coincidir com as celebrações que já estão sendo realizadas.

Todas as suas observações durante esta viagem serão feitas em português, língua usada pelo Papa Francisco durante sua primeira viagem ao exterior, para o Brasil, para o Dia Mundial da Juventude, no Rio, em 2013.

O Pontífice argentino será o quarto a visitar Fátima, seguindo os passos de Paulo VI, João Paulo II e Bento XVI. O Papa polonês, que realizou uma devoção especial para Nossa Senhora de Fátima, convencido de que ela o salvou da morte quando ele foi baleado em 13 de maio de 1981, visitou o famoso local três vezes: em 1982, 1991 e 2000.

Ele estava tão convencido da intervenção mariana quando Ali Agca tentou matá-lo que ele deu a bala que o mataria para o Bispo de Leiria-Fátima. Desde então, ela localiza-se, pungente, no topo da coroa de joias da Virgem.

Ele não foi o único a achar que escapou da morte por uma intervenção Mariana direta.

"Não podemos esquecer que [São João Paulo II] foi salvo da tentativa de assassinato por Nossa Senhora de Fátimp, aqui em São Pedro. Isto é fundamental e central. Isso nunca será esquecido", disse o cardeal português José Saraiva Martins, antigo prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, em uma entrevista em 29 de março.

Classificada como algo "aleatório" que irá ocorrer durante a estada de Francisco em Portugal, o campo de futebol Estádio Municipal de Fátima mudará de nome para Estádio Papa Francisco. Uma placa, com o novo nome do estádio será revelada no dia de sua chegada, apesar de não estar programado que o Papa participe da cerimônia.

Apesar da visita de Francisco ser curta, a de Paulo VI - em 1967 - foi ainda menor: ele ficou em Fátima por menos de seis horas.
Isto, no entanto, não deteve as multidões: de acordo com os registros, cerca de 3 milhões de pessoas participaram da missa que o Papa celebrou, no quinquagésimo aniversário da aparição - 1 milhão em frente à Basílica e outros dois milhões ao redor.

Esta será a 19ª viagem de Francisco para fora da Itália e Portugal é o 28º país que terá visitado. Até agora, há apenas uma outra viagem programada, que é a Colômbia em setembro. No entanto, outras estão sendo consideradas para o decorrer do ano, incluindo Sudão do Sul, Índia e Bangladesh.

Como a viagem do ano passado para a Grécia foi anunciada menos de 10 dias antes, com pouco ou nenhum boato a respeito, não é exagero imaginar que algo semelhante possa acontecer este ano também.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Viagem de Francisco a Fátima será curta, porém relevante - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV