Festa de Maria Madalena, "igual aos apóstolos"

Revista ihu on-line

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Planos de saúde e o SUS. Uma relação predatória

Edição: 541

Leia mais

Hans Jonas. 40 anos de O princípio responsabilidade

Edição: 540

Leia mais

Mais Lidos

  • Pacto das Catacumbas pela Casa Comum. Por uma Igreja com rosto amazônico, pobre e servidora, profética e samaritana

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

22 Junho 2016

No dia 3 de junho passado, o Papa Francisco elevou a celebração de Maria Madalena a festa. Lida à luz da tradição da Igreja, a introdução de uma mudança desse tipo na liturgia, especialmente quando apela ao testemunho dos Evangelhos, mesmo que aparentemente pareça ser algo pequeno, na realidade, tem um significado que não deve ser minimizado.

A nota é do sítio do Mosteiro de Bose, 18-06-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A liturgia molda a Igreja, porque aquilo que se celebra no corpo eclesial dá forma à própria comunidade dos fiéis. A liturgia não é apenas a expressão daquilo que a Igreja é e daquilo que a Igreja é chamada a ser, mas também possui a capacidade de construir a própria Igreja. Os textos, a gestualidade, os edifícios, a música etc. refletem o rosto da comunidade que celebra, mas também moldam o seu ser.

Os Padres da Igreja sabiam bem que a lei da oração (lex orandi) tem uma correspondência harmônica com aquilo em que se crê (lex credendi) e se atualiza na vida prática (lex vivendi).

O novo prefácio que, de agora em diante, vai ser rezado em toda a Igreja Católica no dia 22 de julho, na celebração da festa de Maria Madalena, foi intitulado "De apostola apostolorum", apóstola dos apóstolos, retomando o título com o qual Tomás de Aquino, e antes dele algumas liturgias orientais, chamaram Maria Madalena.

Que consequência podemos esperar do fato de chamar uma mulher de apóstola?

Para reencontrar o lugar da mulher na Igreja contemporânea, o Papa Francisco poderia ter feito uma declaração de tipo dogmático e doutrinal. Em vez disso, ele mudou a liturgia, como fez há alguns meses com a admissão das mulheres ao rito do lava-pés. Até mesmo as mínimas mudanças na lex orandi ajudam a Igreja a reencontrar a si mesma e entender pouco a pouco aquilo que o evangelho de Cristo a chama a ser.

Ela não terá efeitos imediatos, mas essa decisão litúrgica inicia aprofundamentos futuros na vida da igreja, criando uma consciência.

Desde 1968, a Comunidade monástica de Bose celebra Maria Madalena no dia 22 de julho com o grau de festa, atribuindo-lhe o título de "igual aos apóstolos" e utilizando os textos do comum dos apóstolos.

Publicamos a seguir as intercessões e a oração da Liturgia das Horas ecumênica que é celebrada em Bose para a festa de Maria Madalena, publicadas em Preghiera dei giorni. Publicamos também o prefácio para a celebração eucarística.

22 de julho – Maria Madalena, igual aos apóstolos

INTERCESSÃO

℟. Louvor a Vós, Senhor do perdão!

Senhor Jesus, perdoastes a pecadora,
porque muito amou;
acendei em nós o fogo do Vosso amor. ℟.

Maria Madalena tinha experimentado em si o poder do demônio,
mas a sua fé a salvou:
levantai os fiéis escravos do vício e do pecado. ℟.

Quisestes a Vossa discípula ao pés das Cruz,
para que conhecesse o preço do Vosso perdão:
fazei que Vos reconheçamos como Aquele que carrega os nossos pecados. ℟.

Maria sem esperança chorou-Vos junto ao túmulo vazio,
mas Vós a chamastes pelo nome:
que o nosso nome batismal redesperte a nossa vocação. ℟.

Confiastes a Maria de Magdala o anúncio pascal,
proclamando Deus como Pai Vosso e Pai nosso:
dai-nos ser irmãos Vossos e filhos de Deus no amor. ℟.

ORAÇÃO
Oremos.
Deus, nosso Pai,
a Maria Madalena, feita por Vós uma nova criatura,
Vosso Filho ressuscitado confiou o primeiro anúncio pascal:
concedei também a nós, em comunhão com ela,
seguir Jesus Cristo até a cruz,
proclamá-lo ressuscitado
e contemplá-lo um dia na Vossa glória.
Ele que vive e reina agora e para sempre.
- Amém.

PREFÁCIO

O Senhor esteja convosco.
- Ele está no meio de nós.
Corações ao alto.
- O nosso coração está em Deus.
Demos graças ao Senhor nosso Deus.
- É nosso dever e salvação.

Na verdade, é nosso dever e salvação,
nossa alegria e esperança,
dar-Vos graças sempre e em todo o lugar,
Pai santo e onipotente,
por Jesus Cristo, nosso Senhor.

Foi ele que, na manhã de Páscoa,
chamando Maria de Magdala pelo nome,
fez-Se reconhecer como Senhor Ressuscitado
e lhe confiou a mensagem da vitória sobre a morte
e da Sua glorificação junto do Pai.

Por essa revelação,
àquela que é igual aos apóstolos,
com todos os anjos e os santos do céu,
cantamos o hino da Vossa glória;
- Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do universo...

  • Preghiera dei giorni. Ufficio ecumenico per l’anno liturgico, editado pela Comunidade Monástica de Bose, Magnano (BI): Ed. Qiqajon, 2011, p. 908-909.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Festa de Maria Madalena, "igual aos apóstolos" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV