Roma concede permissão inédita para uma manifestação a favor do sacerdócio feminino

Revista ihu on-line

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Vilém Flusser. A possibilidade de novos humanismos

Edição: 542

Leia mais

Mais Lidos

  • Aumento da miséria extrema, informalidade e desigualdade marcam os dois anos da Reforma Trabalhista

    LER MAIS
  • Mais um golpe... em nome de Deus

    LER MAIS
  • “É muito importante que nós, franciscanos, assumamos a nossa responsabilidade neste momento”. Entrevista com Moema Miranda

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: André | 06 Junho 2016

A organização Women’s Ordination Conference conseguiu permissão, pela primeira vez, para fazer uma manifestação em Roma a favor da ordenação das mulheres para sacerdotes na Igreja católica. A associação, fundada em 1975 nos Estados Unidos e agora com representação em 16 países do mundo, já tinha tentado em outras oportunidades protagonizar protestos deste tipo na capital italiana, mas nunca obteve autorização ou sempre foram reprimidas pelas forças da ordem. A manifestação aconteceu na última sexta-feira (03 de junho) nos jardins do Castelo Santo Ângelo, a poucas centenas de metros do Vaticano.

A reportagem é de Camino Martínez e publicada por El Mundo, 03-06-2016. A tradução é de André Langer.

“Acredito que o fato de que tenhamos presença permanente em Roma há dois anos facilitou a obtenção da licença”, comenta para El Mundo Kate McElwee, representante da Women’s Ordination Conference na capital italiana, que detalha que as ativistas que participaram de um dos últimos protestos, em 2011, foram detidas pela polícia.

“Com o Papa Francisco, também nos sentimos mais livres”, reconhece McElwee, mas esclarece que o Vaticano não teve nenhum papel ativo na concessão da permissão. Tudo dependeu da Prefeitura de Roma. E, além disso, o protesto não acontecerá em território vaticano, mas italiano. Mesmo assim, não deixa de ser significativo, tendo em conta que desde a quarta-feira realiza-se no Vaticano o chamado Jubileu dos Sacerdotes, e mais de 6 mil padres de todo o mundo chegaram à capital italiana. Evidentemente, todos homens e vestidos com a preceptiva batina.

“Há algumas semanas começamos a tramitar a autorização na polícia local”, segue relatando a ativista, que ainda parece incrédula por ter conseguido a desejada licença. A Women’s Ordination Conference é a maior e mais antiga associação e que trabalha pela ordenação das mulheres como sacerdotes, diáconos e bispos. Sua atividade começou em meados dos anos 70 e em seguida conseguiu um grande impulso quando, em 1978, várias de suas atividades irromperam em uma conferência de bispos em Washington reclamando a igualdade de direitos das mulheres na Igreja católica.

A partir de então a Women’s Ordination Conference protagonizou múltiplas ações reivindicativas e conseguiu tecer uma ampla rede em diversos países, como Reino Unido, Alemanha, França, Austrália, Japão ou Índia. Segundo sua representante na Itália, no momento não dispõe de nenhuma delegação na Espanha.

Confronto com a hierarquia eclesiástica

Em seu confronto com a hierarquia eclesiástica, a Women’s Ordination Conference conseguiu a ordenação de diversas mulheres com a ajuda de um bispo, que decidiu desobedecer a Santa Sé. No total, 150 mulheres foram ordenadas sacerdotes. A reação do Vaticano foi excomungá-las.

O Papa Francisco mostrou sua disposição, em 12 de maio passado, para que se crie uma comissão que estude a possibilidade de que as mulheres possam ser novamente diaconisas na Igreja, como já foram no passado. O pontífice fez este anúncio durante um encontro com 900 líderes de congregações religiosas femininas de todo o mundo.

O diácono é uma figura eclesiástica à qual é conferido a ordem e grau segundo em dignidade, ou seja, a seguinte em importância ao sacerdócio. Sua responsabilidade é cantar o Evangelho e assistir o sacerdote nas missas solenes. Também pode administrar certos sacramentos, como o batismo e o matrimônio.

A Women’s Ordination Conference valoriza a postura do Papa como um “passo em frente”, mas não entende como o pontífice continue a se negar a permitir que mulheres presidam a eucaristia.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Roma concede permissão inédita para uma manifestação a favor do sacerdócio feminino - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV