Deputado sai em defesa da BM na AL e afirma: ‘Bandido tem de ser tratado no pau’

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • 'Por uma teologia do acolhimento e do diálogo, do discernimento e da misericórdia', segundo o papa Francisco

    LER MAIS
  • Usada por Moro e Dallagnol, tese de alteração das mensagens está cada vez mais fraca

    LER MAIS
  • “Quem disser ‘amo a Deus’, mas odeia o irmão, é mentiroso”. Entrevista com Leonardo Boff

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

18 Maio 2016

A atuação da Brigada Militar nas manifestações pacíficas contra o governo interino de Michel Temer (PMDB), nos dias 12 e 13 de maio na Capital, foi alvo de críticas e também de defesa na sessão desta terça-feira (17) da Assembleia Legislativa. O deputado bombeiro Biacnhini (PPL) culpou os manifestantes pela agressividade da polícia. O deputado Sérgio Peres (PRB) foi além e vociferou: “Bandido tem de ser tratado no pau”.

A reportagem é de Jaqueline Silveira, publicada por Sul21, 17-05-2016.

A petista Stela Farias classificou como “lamentável” a atitude do governador José Ivo Sartori (PMDB) em relação à conduta truculenta da Brigada Militar manifestada por ele durante reunião com representantes da bancada de oposição, que foram ao Palácio Piratini, na manhã da última segunda-feira (16), cobrar uma posição do chefe do Executivo sobre a atuação truculenta dos policiais. O bloco de oposição chegou a pedir o afastamento do secretário da Segurança Pública, Wantuir Jacini, e do comandante-geral da BM, Alfeu Freitas. “Não podemos admitir que um governo bata em mulheres e meninas, meninas apanharam feito bicho”, afirmou Stela, que levou fotos das agressões às mulheres, que ocorreram em uma das manifestações.

Ela disse que não é favorável à obstrução de ruas, contudo condenou a atuação truculenta da polícia. Nos dois dias, o Batalhão de Choque e a cavalaria dispersaram os manifestantes com bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral e spray de pimenta. Na sexta-feira, inclusive, quatro jovens foram detidas e teriam sido agredidas por policiais. Outra manifestante teria sido ferida por bala de borracha. Líder do PT, Luiz Augusto Mainardi ressaltou que os deputados foram cobrar providências do governador devido aos excessos da polícia. “As manifestações têm de ser protegidas pela Brigada Militar. “A Brigada exagerou e por isso estamos aqui protestando”, argumentou ele.

Já o deputado Bombeiro Bianchini saiu em defesa da Brigada Militar. Ele afirmou que, durante as manifestações, um grupo pichou a sede municipal do PMDB e “apedrejou o prédio da RBS TV.” Além disso, conforme ele, um grupo interrompeu uma das principais avenidas da Capital, causando “o caos” no trânsito e que se recusou liberar a via, apesar da negociação da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). “A Brigada Militar entrou e houve o confronto. Três policiais foram feridos a pedra. De onde saíram as pedras?, questionou Bianchini. Ele criticou, ainda, o fato de alguns manifestantes usarem “óculos de natação” e mochilas. “Peço que tenham vergonha e não culpem a Brigada pelo incidente, a BM só cumpriu sua missão, mais respeito à Brigada Militar”, frisou o parlamentar.

Do PP, Marcel van Hattem também defendeu os policiais, já que o diálogo não foi suficiente para convencer os manifestantes a liberar o trânsito. O deputado também criticou a bancada de oposição que cobrou de Sartori providências em relação à truculência da BM. O bloco, segundo ele, tentou denegrir a imagem da Brigada, insinuando que a BM “atuou partidariamente.” “A polícia agiu com bom senso”, defendeu o parlamentar. O deputado Sérgio Peres (PRB) também apoiou a ação da Brigada devido ao fechamento de ruas. “Bandido tem de ser tratado no pau. Quero que bote lei no Estado”, disparou o parlamentar, referindo-se aos manifestantes que trancam ruas em protestos pacíficos.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Deputado sai em defesa da BM na AL e afirma: ‘Bandido tem de ser tratado no pau’ - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV