Nova fase da Operação Lava Jato chega ao ex-presidente Lula

Revista ihu on-line

SUS por um fio. De sistema público e universal de saúde a simples negócio

Edição: 491

Leia mais

A volta do fascismo e a intolerância como fundamento político

Edição: 490

Leia mais

Maria de Magdala. Apóstola dos Apóstolos

Edição: 489

Leia mais

Mais Lidos

  • O que aconteceu com a classe operária depois de Marx

    LER MAIS
  • Reinstituição das diaconisas. Artigo de Felipe Arizmendi, bispo de San Cristóbal de Las Casas, M

    LER MAIS
  • Áreas sociais sofrem cortes, e Temer já indica perdas previdenciárias e trabalhistas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

04 Março 2016

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o principal alvo da 24ª fase da operação Lava Jato, realizada na manhã desta sexta-feira. Agentes da Polícia Federal chegaram ao apartamento do petista em São Bernardo do Campo por volta das 6h para cumprir ordem de busca e apreensão emitida pelo juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná, responsável pelos processos da operação em primeira instância.

Além disso, Lula é alvo de um mandado de condução coercitiva (quando o investigado é obrigado a depor). O filho do ex-presidente, Fábio Luiz da Silva, mais conhecido como Lulinha, também é um dos alvos da investigação da nova etapa da Lava Jato, batizada de Aletheia - referência à entidade mítica grega que tem relação com a 'busca pela verdade'.

A informação é de Gil Alessi, publicada por El País, 04-03-2016.

O ex-presidente é suspeito de ter recebido vantagens indevidas de empreiteiras durante e após seu mandato, como a reforma de um sítio frequentado por ele em Atibaia e de um apartamento tríplex no Guarujá.

Os desdobramentos da operação de hoje devem ser catastróficos para o Governo e para Lula, que ainda tentava se manter como um candidato viável para disputar a presidência em 2018.

A Aletheia acontece menos de 24h depois do Planalto ter sido abalado pela informação não oficial de que o senador Delcídio do Amaral, que havia sido preso pela Lava Jato, implicava Dilma e Lula em sua delação premiada.

No total, a Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira 33 mandados de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.

Desde o final de semana já havia a expectativa por parte de setores do PT de que o ex-presidente seria a bola da vez da força-tarefa que investiga corrupção na Petrobras. Na festa de aniversário de 36 do PT, realizada no sábado, Lula chegou a dizer que sabia que teria seus sigilos fiscais e telefônicos quebrados em breve.