Lama de barragem se aproxima do mar e já muda cor da água no ES

Revista ihu on-line

SUS por um fio. De sistema público e universal de saúde a simples negócio

Edição: 491

Leia mais

A volta do fascismo e a intolerância como fundamento político

Edição: 490

Leia mais

Maria de Magdala. Apóstola dos Apóstolos

Edição: 489

Leia mais

Mais Lidos

  • Dom Hélder Câmara e Dom Luciano Mendes de Almeida: paladinos dos pobres e da justiça

    LER MAIS
  • ‘Governo Temer é profundamente antinacional. É pior que 64’. Entrevista com Wanderley Guilherm

    LER MAIS
  • Ri, palhaço

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

23 Novembro 2015

Em Linhares, no norte do Espírito Santo, a lama originada do rompimento de barragens da Samarco, em Minas Gerais, mudou a cor da água do Rio Doce na praia de Regência, onde o rio deságua no mar. Por volta das 16 horas de ontem (21), a tonalidade passou para o marrom

A reportagem foi publicada por Portal Fórum, 22-11-2015.

Em Linhares, no norte do Espírito Santo, a lama originada de Minas Gerais mudou a cor da água do Rio Doce na praia de Regência, onde o rio deságua no mar. Por volta das 16 horas de ontem (21), a tonalidade passou para o marrom. A enxurrada teve início no dia 5 de novembro, quando duas barragens da mineradora Samarco se romperam na cidade de Mariana, região central de Minas.

Por enquanto, são três os municípios do Espírito Santo atingidos pela lama: LinharesBaixo Gandu e Colatina, que estão impedidos de utilizar as águas do Rio Doce. A preocupação no momento é de que, com a chegada ao oceano, todos esses rejeitos da mineração possam afetar os animais marinhos, aumentando ainda mais o impacto ambiental já identificado até então.

A ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira, deve visitar Linhares na segunda-feira (23) para acompanhar as ações emergenciais que estão sendo realizadas na região para conter os danos causados pela lama.