Michel De Certeau, o pensador jesuíta citado pelo papa no seu discurso sobre a liberdade religiosa

Revista ihu on-line

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Clarice Lispector. Uma literatura encravada na mística

Edição: 547

Leia mais

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Mais Lidos

  • “Bolsonaro é testa de ferro de um projeto político de militares”, aponta antropólogo

    LER MAIS
  • Novas armas: drones já decidem por si próprios se e quando matar. Artigo de Paolo Benanti e Sebastiano Maffettone

    LER MAIS
  • Papa Francisco clama por uma “reforma profunda da economia mundial” que evite “sacrifícios ante o altar do progresso”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


28 Setembro 2015

Michel de Certeau (Chambery, 17-05-1925 - Paris, 09-01-1986) foi um jesuíta e historiador francês, cuja obra varia sobre uma multiplicidade de âmbitos diferentes, como a psicanálise, a filosofia e as ciências sociais.

A reportagem é de Luis Badilla, publicada no sítio Il Sismografo, 27-09-2015. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

De Certeau teve uma formação de tipo eclético, o que fez dele uma personalidade complexa, cujo trabalho atravessa todo o campo das ciências sociais.

Michel de Certeau nasceu em 1925, em Chambéry, na Savoia (França). Depois de obter o diploma em filosofia, com um caminho de estudos itinerante entre a Universidade de Grenoble, a de Lyon e a de Paris, seguiu uma primeira formação religiosa no seminário de Lyon. Entrou lá em 1950, na Ordem dos Jesuítas em que fez os votos em 1956; queria ser enviado como missionário para a China. Permaneceu fiel a essa instituição, embora o seu pensamento a tenha "superado", de algum modo. (…)

As palavras do Papa Francisco nesse sábado, quando citou Michel De Certeau: "As nossas tradições religiosas nos lembram que, como seres humanos, nós somos chamados a reconhecer o outro/o Outro que revela a nossa identidade relacional diante de toda tentativa de instaurar 'uma uniformidade que o egoísmo do forte, o conformismo do fraco ou ainda a ideologia do utópico poderiam tentar nos impor'".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Michel De Certeau, o pensador jesuíta citado pelo papa no seu discurso sobre a liberdade religiosa - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV