Pesquisa: América Latina lidera top 10 de felicidade mundial, e Paraguai é país mais feliz

Revista ihu on-line

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

No Brasil das reformas, retrocessos no mundo do trabalho

Edição: 535

Leia mais

Mais Lidos

  • 'Por uma teologia do acolhimento e do diálogo, do discernimento e da misericórdia', segundo o papa Francisco

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

01 Setembro 2015

Os 10 países mais felizes do mundo estão na América Latina pela primeira vez em 10 anos de pesquisa conduzida pela empresa norte-americana Gallup. O Paraguai lidera o ranking, seguido por Colômbia e Equador. Entre os menos felizes estão Sudão, Tunísia e Bangladesh.

A reportagem é de Vanessa Martina Silva, publicada por Opera Mundi, 28-08-2015.

A pesquisa anual foi realizada com 150 mil pessoas em 148 países do mundo tanto presencialmente, quanto por telefone. De forma geral, a felicidade global tem aumentado desde 2006, mas se manteve estável em 2014 com relação a 2013, com média de 71.

Os entrevistados responderam questões sobre os sentimentos e emoções positivos e negativos vivenciados no último dia. O questionário incluiu perguntas como “você descansou bem?”, “foi tratado com respeito?”, “deu risada ou sorriu?” e também “sentiu raiva?”, “sentiu tristeza?” e “ficou estressado?”.

No Paraguai, o índice de felicidade é de 89, na Colômbia, 84 e no Equador, 84. Já os que tiveram menos experiências positivas foram Sudão (47), Tunísia (52) e Bangladesh (54).



As respostas foram compiladas no índice de experiência positiva por cada nação. O estudo concluiu que a liberdade individual e a presença de experiências sociais influem no índice de felicidade. E também que a ausência de experiências negativas não implica, necessariamente, em mais experiências positivas.

De acordo com a empresa, o fato de “muitas pessoas terem reportado experiências de emoções positivas na América Latina pelo menos em parte reflete a tendência cultural da região de focar em aspectos positivos da vida”.

As experiências mais negativas foram registradas por cidadãos de Iraque (56), Irã (50) e Camboja (46). Iraque lidera o ranking desde 2011 e desde 2008 está entre os cinco primeiros.



Já os países da antiga URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas) são os que tiveram menos relatos de experiências negativas com dez países no topo do ranking. O quadro é liderado pelo Uzbequistão (12), seguido por China (15) e Mongólia (15).

Os iraquianos e iranianos são os que relataram mais experiências de raiva. 49% dos entrevistados disseram ter sentido raiva recentemente.

Os países nos quais as pessoas disseram ter tido tanto experiências positivas quanto negativas figuram entre os mais emotivos do mundo. O ranking também é liderado pela América Latina, com Bolívia (59%), El Salvador (59%) e Equador (58%) no topo do ranking. Já os menos emotivos são Bangladesh (37%), Azerbaijão (38%) e Geórgia (38%).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pesquisa: América Latina lidera top 10 de felicidade mundial, e Paraguai é país mais feliz - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV