Dalai Lama enaltece a “encíclica verde” do Papa e clama por uma mudança de estilo de vida

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “Nós nos tornamos um vírus para o planeta”. Entrevista com Philippe Descola

    LER MAIS
  • América Latina. 300 milhões de pobres, ainda em 2020. Destes, 83 milhões na pobreza extrema, segundo a Cepal e OIT

    LER MAIS
  • O projeto católico conservador se esgotou?

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Jonas | 30 Junho 2015

Dalai Lama (foto), líder espiritual do budismo tibetano, louvou a encíclica “Laudato Si”, do Papa Francisco e convidou aos líderes religiosos, políticos e econômicos a “se envolver nos assuntos que afetam o futuro da Humanidade”. O exilado líder tibetano participou do Festival de Glastonbury.

 
Fonte: http://goo.gl/oUPX76  

A reportagem é de Jesús Bastante, publicada por Religión Digital, 29-06-2015. A tradução é do Cepat.

“Vejo jovens e idosos desfrutando com alegria. Enquanto estão aqui, desfrutem. Porém, não se esqueçam de que no mesmo planeta há seres humanos sendo assassinados pelos outros seres humanos, destacou, apresentando o exemplo de Iraque, Síria e Nigéria. “Assassinam em nome da fé. Algo impensável”, sentenciou.

Com suas palavras, Dalai Lama fez uma menção à principal mensagem das religiões: “amor, tolerância e perdão”. “Lembrem-se, não há nada ruim nas crenças religiosas. Não concebem matar. Eu quero minha vida, todo mundo quer sua vida. Todos nós temos o direito de viver felizes”, acrescentou.

Dalai Lama enalteceu o conteúdo da encíclica Laudato Si (“Louvado sejas”), que incentiva uma mudança de estilo de vida, a conversão para energias renováveis e a um giro ecológico na economia. O líder budista afirmou que o dever dos cidadãos é redobrar os esforços para que os políticos ajam, “incluindo mais manifestações nas ruas”.

Em sua passagem por Glastonbury, Dalai Lama também ressaltou a necessidade de pressionar os governos, corporações e instituições internacionais “para colocar fim ao uso generalizado das energias fósseis, investir mais em energias limpas e acabar com o desmatamento massivo”.

“Em nível individual, todos temos uma responsabilidade com o planeta”, concluiu Dalai Lama. “Eu tento colocar meu grãozinho de areia, apagando as luzes por onde passo e usando a ducha ao invés do banho... Mesmo que eu me lave duas vezes por dia”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dalai Lama enaltece a “encíclica verde” do Papa e clama por uma mudança de estilo de vida - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV