Especialista da ONU pede responsabilização de empresas por exploração indevida de recursos naturais

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco condena perseguição antigay e está preocupado com “cura gay”

    LER MAIS
  • Católicos e anglicanos - Trabalhar juntos para bem da humanidade, diz secretário do Vaticano

    LER MAIS
  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

26 Junho 2015

O relator especial das Nações Unidas sobre os direitos à liberdade de reunião pacífica e de associação, Maina Kiai, apelou para um novo tratado que obrigue empresas a respeitarem os direitos humanos fundamentais, e para que os Estados e as corporações se envolvem totalmente com as organizações da sociedade civil no contexto de exploração de recursos naturais.

A nota é publicada por ONU Brasil, 25-06-2015.

“As empresas têm um papel desproporcional nos processos de tomada de decisão sobre a exploração dos recursos naturais. Mas elas não estão sujeitos a cumprir juridicamente as obrigações de direitos humanos”, disse Kiai ao Conselho de Direitos Humanos da ONU durante a apresentação do seu mais recente relatório. “É hora de abordar esta questão de forma mais enérgica; corporações não devem escapar da responsabilidade de salvaguardar os direitos humanos.”

Ele também destacou a responsabilidade dos Estados-membros em reconhecer as organizações da sociedade civil, incluindo as comunidades afetadas, como atores-chave no contexto da exploração de recursos naturais. Ele observou que, em muitos países, os interessados carecem de mecanismos para expressar livremente as suas preocupações, e advertiu que “os governos são mais receptivos às posições das corporações do que as necessidades e as preocupações das comunidades afetadas.”

“Os direitos à liberdade de reunião pacífica e de associação são fundamentais para alcançar uma exploração sustentável e mutuamente benéfica dos recursos naturais”, disse ele. “Eles ajudam a incentivar o aumento da transparência e da responsabilidade na exploração dos recursos e engajamento inclusivo em toda a cadeia de tomada de decisão.”

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Especialista da ONU pede responsabilização de empresas por exploração indevida de recursos naturais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV