“A divisão entre cristãos é um escândalo”, escreve Papa ao Conselho Ecumênico das Igrejas

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Metaverso? Uma solução em busca de um problema. Entrevista com Luciano Floridi

    LER MAIS
  • A implementação do Concílio no governo do Papa Bergoglio. Artigo de Daniele Menozzi

    LER MAIS
  • Comunidades Eclesiais de Base, sim. Artigo de Pedro Ribeiro de Oliveira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Jonas | 25 Junho 2015

“Nosso diálogo deve continuar!”, é o que escreve o Papa Francisco em sua mensagem dirigida ao Secretário Geral do Conselho Ecumênico das Igrejas, Olav Fykse Tveit, por ocasião do 50º Aniversário do Grupo misto de trabalho entre este organismo e a Igreja católica. O documento pontifício foi lido, na tarde desta terça-feira, pelo Cardeal Kurt Koch, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, durante o congresso comemorativo em Roma.

A reportagem é publicada por Rádio Vaticano, 24-06-2015. A tradução é do Cepat.

Na mensagem, o Bispo de Roma manifesta seu parecer pelas “significativas relações ecumênicas” existentes hoje e por todas as metas alcançadas, ao longo dos anos, “inspiradas pelo desejo de unidade que Cristo instituiu para a Igreja, Seu corpo, e pela dor do escândalo da divisão entre cristãos”. Por isso, o Pontífice pede ao Grupo misto de trabalho para não ser apenas “um fórum introspectivo”, mas para se converter em uma “fábrica de ideias” concretas, abertas a todas as oportunidades e desafios que hoje são enfrentados pela Igreja em sua missão de acompanhar a humanidade sofredora, difundindo “na sociedade e na cultura” os valores e a verdade do Evangelho.

Recordando o sofrimento causado pela divisão entre cristãos, o Sucessor de Pedro exorta o Grupo misto a enfrentar “os temas ecumênicos cruciais” e a “promover modos para testemunhar uma comunhão real, mesmo que imperfeita, entre todos os batizados”. O desejo do Papa se dirige ao “dom da unidade plenamente visível entre todos os cristãos, para que a Igreja possa ser sempre mais um sinal de esperança no mundo e um instrumento de reconciliação entre os povos”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“A divisão entre cristãos é um escândalo”, escreve Papa ao Conselho Ecumênico das Igrejas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV