Secretário-geral da ONU elogia encíclica papal que destaca mudanças climáticas como “questão moral” fundamental

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Padres despedaçados. Artigo de Pietro Parolin

    LER MAIS
  • Na igreja do Papa Francisco, os movimentos estão parando

    LER MAIS
  • Abusos, sínodo e a falsa prudência

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


23 Junho 2015

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas Ban Ki-moon saudou o lançamento da encíclica do Papa Francisco, documento onde o líder da Igreja Católica fala das mudanças climáticas como um dos principais desafios que a humanidade enfrenta e convida a todos para um “diálogo renovado” sobre como está sendo construído futuro do nosso planeta.

O texto foi publicado pelo UN News Centre, 18-06-2015. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

“O secretário-geral reafirma que a humanidade tem a obrigação de cuidar e proteger a nossa casa comum, o planeta Terra, e mostrar solidariedade com os mais pobres e mais vulneráveis da sociedade, que são os que mais sofrem com os impactos do clima”, declarou o porta-voz da ONU em um comunicado emitido após a divulgação da carta encíclica na quinta-feira (18).

“O secretário-geral apela, portanto, os governos para que coloquem o bem comum acima de qualquer interesse nacional e adotem um acordo climático ambicioso, em Paris, no final este ano”.

Segundo o comunicado, as conclusões da encíclica reconhecem o “consenso científico muito sólido”, mostrando que há um aquecimento em níveis significativos no sistema climático do planeta e que esse aquecimento “resulta principalmente da atividade humana”.

Além disso, o documento papal descreve a mudança climática como uma questão moral fundamental, que exige um diálogo respeitoso com todas as partes da sociedade.

“O secretário-geral congratula-se com as contribuições de todos os líderes religiosos e pessoas de influência na resposta ao desafio das alterações climáticas e no fortalecimento do desenvolvimento sustentável”, diz o comunicado.

“Ele [Ban Ki-moon] está ansioso para receber o Papa Francisco nas Nações Unidas em setembro, em que o líder religioso discursará na Assembleia Geral da ONU”, conclui o comunicado, acenando a visita do pontífice à ONU durante a abertura de alto nível da sessão de aniversário dos 70 anos da organização mundial.

Falando a jornalistas em Nova York, o secretário-geral disse que ele e o Papa Francisco concordam que as mudanças climáticas são uma questão moral que exige ações coletivas urgentes.

“É uma questão de justiça social, direitos humanos e ética fundamental”, continuou o secretário-geral, instando a comunidade internacional a “fazer muito mais para ajudar os mais pobres e mais vulneráveis da sociedade, que são os que mais sofrem com os impactos climáticos, embora sejam os que menos têm a ver com a causa do problema”.

Ban Ki-moon agradeceu profundamente o Papa Francisco por tomar uma “posição firme” quanto à necessidade de uma ação global urgente. A sua voz moral é parte de um coro crescente de pessoas de todas as crenças e todos os setores da sociedade que está se manifestando em favor de uma ação climática.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Secretário-geral da ONU elogia encíclica papal que destaca mudanças climáticas como “questão moral” fundamental - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV