Brasil precisa avançar na “quarta agenda democrática”

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • 50 anos após a morte de Merton, ''finalmente o estamos entendendo''

    LER MAIS
  • “Para se defender, o neoliberalismo faz a democracia se esgotar”. Entrevista com Grégoire Chamayou

    LER MAIS
  • Jean Pierre Schumacher, o único sobrevivente da matança dos monges de Tibherine

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Jonas | 31 Março 2015

Depois da redemocratização, em 1985, do controle da inflação, nos anos 90, e da inclusão social, neste começo de século, chegou a hora de o Brasil ter sua quarta agenda democrática: a melhoria dos serviços públicos. A avaliação é do novo ministro da Educação, o filósofo Renato Janine Ribeiro, em sua coluna de despedida no jornal Valor Econômico. “Eles melhoraram mais do que se pensa, mas a sociedade exige mais – o avanço educacional precisa da união de todos. A boa notícia é que só nos falta isso, mais a inclusão remanescente, para sermos uma democracia digna desse nome”, escreveu o novo ministro.

A reportagem é publicada por Congresso em Foco, 30-03-2015.

Segundo Janine, todos sabem o que é preciso fazer para melhorar a qualidade dos serviços públicos, a começar pela adoção de “boas práticas” na gestão até os investimentos necessários, seja na formação, seja na remuneração dos servidores. Para ele, a educação é o fio-condutor dessa nova agenda: “A educação pode abrir para tantas formações, que nem o céu é o limite”.

Em entrevista ao Valor PRO, serviço de notícias em tempo real do Valor, Janine defendeu que programas sociais do governo federal sejam atrelados à educação e à formação de mão de obra para o mercado de trabalho. Na visão dele, a formação de mão de obra é “o grande gerador de recursos” para o desenvolvimento econômico e a inclusão social.

Professor titular de Ética e Filosofia Política da Universidade de São Paulo (USP), Renato Janine Ribeiro toma posse no ministério no próximo dia 6, em substituição a Cid Gomes, que deixou a pasta após acusar deputados de promoverem achaque contra o governo.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Brasil precisa avançar na “quarta agenda democrática” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV