Foi há dois anos a eleição do Papa Francisco. Andrea Tornielli: As “duas lógicas” que desde sempre se cruzam na história da Igreja

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Desigualdade bate recorde no Brasil, mostra estudo da FGV

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

05 Março 2015

Por ocasião do próximo segundo aniversário do pontificado de Francisco (13 de março) interpelamos diversos vaticanistas e estudiosos para solicitar-lhes uma opinião, mesmo breve, sobre a característica mais relevante e significativa destes primeiros 24 meses da missão pastoral de Jorge Mario Bergoglio.

A entrevista é publicada por Il Sismografo, 03-03-2015.

Andrea Tornielli, Coordenador de Vatican Insider respondeu-nos assim:

“A dois anos de distância da eleição de Francisco há indubitavelmente muitos canteiros abertos: a reforma das estruturas econômico-administrativas da Santa , a reforma da Cúria romana, o Sínodo dos bispos celebrado em duas etapas com um percurso que envolve as Igrejas locais.

Mas, a meu ver, a característica mais relevante sob todo ponto de vista é aquela que o próprio Francisco tão bem descreveu na fundamental homilia de 15 de fevereiro passado.

Falando aos novos (e velhos) cardeais em São Pedro, comentou o texto evangélico da cura do leproso apresentando as “duas lógicas” que desde sempre se cruzam na história da Igreja: aquela dos doutores da lei que marginalizam o contagiado para salvar os sãos, e aquela de Jesus que se compromete, se aproxima, abraça, perdoa, integra.

Francisco explicou que desde o concílio de Jerusalém a Igreja das origens escolheu a segunda estrada. Fiquei surpreso sobre quão pouco aquela homilia tenha sido retomada, comentada, aprofundada. No entanto, ali se encontra nucleado o coração da mensagem que o Papa Francisco atesta, com os gestos mais do que com as palavras. Naquela homilia também me impressionou muito a passagem dedicada ao complexo do filho mais velho, o irmão do Filho pródigo: aquele que se lamenta com o pai pela misericórdia sem limites demonstrada ante o outro filho que esbanjou tudo.

O aspecto mais relevante parece, portanto, ser, para mim, esta capacidade de mostrar o vulto da ternura, da acolhida e da inclusão de uma Igreja que gratuitamente recebe e gratuitamente oferece misericórdia.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Foi há dois anos a eleição do Papa Francisco. Andrea Tornielli: As “duas lógicas” que desde sempre se cruzam na história da Igreja - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV