Novo presidente da Igreja Evangélica Alemã confirma unidade à frente dos 500 anos da Reforma

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Um gargarejo nos salvará? Enxaguar a boca e o nariz por 30 segundos com produtos de uso comum reduz muito a carga viral

    LER MAIS
  • Nós precisamos repensar radicalmente a forma como vivemos e trabalhamos

    LER MAIS
  • As duas faces perversas da informalidade: sobretrabalho e intermitência

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


04 Fevereiro 2015

O aniversário de 500 anos da Reforma que acontecerá em 2017 não deve ser uma "celebração protestante de autobajulação", disse o novo presidente da federação de Igrejas protestantes da Alemanha, bispo Heinrich Bedford-Strohm.

A reportagem é de Christa Pongratz-Lippitt, publicada no jornal católico britânico The Tablet, 02-02-2015. A tradução é de Claudia Sbardelotto.

Ao invés de ser um memorial de "heroísmo" de Martinho Lutero, a data deve expressar o que foi decisivo para Lutero, ou seja, ter um novo olhar sobre Jesus Cristo, disse Bedford-Strohm ao portal online da arquidiocese de Colônia, domradio.de, na semana passada.

"Ter um novo olhar sobre Jesus é o que Lutero queria fazer naquele momento e isso é o que devemos fazer hoje", disse o bispo. "Nós não devemos erguer novas barreiras entre as denominações. É uma questão de destacar a maravilhosa mensagem do evangelho de uma maneira nova em um ambiente ainda mais difícil aqui na Alemanha e só podemos fazer isso juntos".

O bispo Bedford-Strohm estava "de fato muito feliz" por ter sido capaz de conversar longamente com o presidente da Conferência Episcopal Alemã, cardeal Reinhard Marx, sobre como suas Igrejas iriam aproveitar o aniversário de 2017 para "celebrar uma grande festa para Jesus Cristo, a fim de nos concentrarmos em Cristo de uma maneira nova". Ao mesmo tempo, ambas as Igrejas teriam a chance de fazer penitência pelas guerras confessionais acontecidas por causa da Reforma, acrescentou o bispo.

Os comentários do bispo Bedford-Strohm sugerem uma melhoria acentuada nas relações entre as duas Igrejas desde junho do ano passado, quando o cardeal Walter Kasper disse que estava "realmente ferido" pelo fato da Igreja protestante alemã não ter mencionado a histórica "Declaração Conjunta sobre a Doutrina da Justificação" de 1999, em seu documento sobre o fundamento teológico da Reforma.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Novo presidente da Igreja Evangélica Alemã confirma unidade à frente dos 500 anos da Reforma - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV