Compartilhar Compartilhar
Aumentar / diminuir a letra Diminuir / Aumentar a letra

Notícias » Notícias

Balduíno Loebens, jesuíta, morre afogado após visitar aldeia indígena

O corpo do padre Balduíno Loebens, de 73 anos, que atuava em Juína, a 737 km de Cuiabá, foi encontrado no Rio Juruena, na noite de segunda-feira, dia 08-09-2014. Ele estava desaparecido desde domingo depois de fazer uma visita a uma aldeia indígena, da etnia Rikbaktsa, no município. Conforme o Corpo de Bombeiros, que fez as buscas pelo padre, os índios viram o padre saindo sozinho e logo depois avistaram o barco vazio.
 
O Corpo de Bombeiros de Tangará da Serra, que atende a região, procurou o padre de barco durante toda a segunda-feira e, depois de encerrar as buscas no final da tarde, o corpo foi localizado à noite pelos indígenas, próximo ao município de Castanheira, a 780 km da capital, 15 km abaixo do local onde o barco foi encontrado, de acordo com o subtenente do Corpo de Bombeiros, Jamil Nobres da Silva.

A informação é do Jornal da Record Juína,  09-09-2014.

A Catedral Sagrado Coração de Jesus de Juína comunicou o falecimento em sua página institucional na internet. Em nota, a paróquia diz que o padre 'navegou' por vários anos no Rio Juruena, "levando vida, esperança, apoio e a alegria do evangelho". Missionário jesuíta, ele trabalhou por mais de 40 anos no Distrito de Fontanillas, atendendo as aldeias da região.
 
 "A Paróquia Sagrado Coração de Jesus, consternada, manifesta os sentimentos de solidariedade aos familiares, aos povos indígenas - por mais de 40 anos atendidos pastoralmente pelo padre - a toda a comunidade de Fontanillas e amigos", diz trecho da nota divulgada pela igreja.

"O Rio Juruena, onde por tantos anos o padre Balduíno navegou levando vida, esperança, apoio e a alegria do Evangelho se torna a àgua do seu novo nascimento..o nascimento para a vida eterna. Deus o receba na Vida Eterna e lhe conceda a Paz e o descanso!", afirma a nota.

Loebens se afogou no final de semana, enquanto se deslocava de barco para almoçar na aldeia Água Braba. Como ele não chegou ao destino final, os índios ficaram preocupados e começaram a procurá-lo, encontrando o barco e algumas tralhas às margens do rio, em uma região de pedras, entre as aldeias Areia Branca e Água Braba.
 
Os indígenas então começaram a procurá-lo, mas não encontraram Balduíno e pediram socorro. Mergulhadores do Corpo de Bombeiros que estavam dando cobertura em um festival de pesca começaram as buscas ainda no dia do afogamento.
 
O corpo foi levado para Juína. Segundo informa a diocese de Juína, "após ser liberado pelos médicos,  o corpo do Padre Balduíno foi levado à Catedral às 9h, ao soar dos sinos.

Às 14h está previsto um ritual fúnebre com os indios "Canoeiros", etnia à qual o padre se dedicou por mais de 40 anos.

Às 15h será celebrada a missa e exéquias na Catedral e após o sepultamento no Cemitério de Juína.

 

Padre Balduino Loebens, natural de Linha Cotovelo, Itapiranga, SC, atuou por maiis de 40 anos na região de Fontanillas, ao longo do Rio Juruena, atendendo as aldeias da Etnia Rikbaktsa. Era reconhecido pelos conhecimentos e atendimento na Pastoral da Saúde, com a homeopatia. Ele foi ordenado em 1972 e desde então dedico a vida para evangelizar e cuidar dos mais carentes, principalmente indígenas.

 Um vídeo em homenagem ao Padre Balduíno Loebens pode ser visto clicando aqui.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Cadastre-se

Quero receber:


Refresh Captcha Repita o código acima:
 

Novos Comentários

"Nesta idade já se pode ter bens em seu nome?" Em resposta a: Aos 7 anos, “Michelzinho” já tem R$ 2 milhões em imóveis
"Apesar de estar homologado pelo Greenpeace, eu não acredito na disposição do Walmart, uma rede de..." Em resposta a: Walmart assume política de Desmatamento Zero para toda a carne vendida nas lojas
"A Florença da época era dos Médicis (e seu chanceler Maquiavel), os Bórgias governavam Roma. Era..." Em resposta a: Cadê o Leonardo?

Conecte-se com o IHU no Facebook

Siga-nos no Twitter

Escreva para o IHU

Adicione o IHU ao seus Favoritos e volte mais vezes

Conheça a página do ObservaSinos

Acompanhe o IHU no Medium