Vaticano revoga suspensão do padre Miguel d'Escoto

Revista ihu on-line

Missões jesuíticas. Mundos que se revelam e se transformam

Edição: 530

Leia mais

Nietzsche. Da moral de rebanho à reconstrução genealógica do pensar

Edição: 529

Leia mais

China, nova potência mundial – Contradições e lógicas que vêm transformando o país

Edição: 528

Leia mais

Mais Lidos

  • As sete antífonas do 'Ó': celebrando o mistério da vinda de Jesus

    LER MAIS
  • Dowbor: há saída no labirinto capitalista?

    LER MAIS
  • A resposta aos coletes amarelos deve ser também europeia. Entrevista com Thomas Piketty e Stéphanie Hennette-Vauchez

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

05 Agosto 2014

O Vaticano emitiu um decreto que levanta a  suspensão de 29 anos contra o padre Miguel F. d'Escoto Brockmann, um sacerdote maryknoll. Os Padres e Irmãos de Maryknoll é uma congregação missionária da Igreja dos EUA.

A reportagem é publicada pelo sítio Christian Newswire, 01-08-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

O padre d'Escoto, 81 anos, foi ordenado sacerdote católico no dia 10 de junho de 1961. Ele ajudou a fundar a Orbis Books, a divisão de publicação teológica dos maryknoll, e foi um representante junto ao Conselho Mundial de Igrejas.

Durante os anos 1970, o padre d'Escoto participou da política na Nicarágua. Juntou-se à Frente Sandinista de Libertação Nacional, um partido político que derrubou Anastasio Somoza Debayle e estabeleceu um governo revolucionário.

Por causa das suas ações políticas, pelo envolvimento no governo sandinista e por não renunciar a um cargo político (ministro das Relações Exteriores da Nicarágua), o padre d'Escoto foi suspenso das suas funções sacerdotais pelo Vaticano.

Na notificação do Vaticano datada de 1º de agosto de 2014, "o Santo Padre concede o seu benévolo assentimento para que o padre Miguel d'Escoto Brockmann seja absolvido da censura canônica infligida contra ele e confia-o ao Superior Geral do Instituto [Maryknoll ] com o objetivo de acompanhá-lo no processo de reintegração no sacerdócio ministerial".

O levantamento da suspensão permite que o padre d'Escoto retome as suas funções sacerdotais.

O padre d'Escoto manteve-se como membro da Sociedade Maryknoll com residência na Nicarágua. De setembro de 2008 até setembro de 2009, ele presidiu a 63ª Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas como seu presidente.

Abençoada pelo Papa Pio X em 29 de junho de 1911, a Sociedade Maryknoll, aos seus 103 anos, segue Jesus no serviço aos pobres e aos necessitados em 26 países, que incluem os EUA. Como uma sociedade de missão estrangeira da Igreja Católica nos Estados Unidos, a Maryknoll partilha o amor de Deus e o Evangelho em seus esforços de evangelização no combate à pobreza, fornecendo cuidados de saúde, construindo comunidades cristãs e promovendo a dignidade de todas as pessoas.

Todos os católicos são chamados à missão através do batismo e da confirmação, e os esforços de educação à missão da Maryknoll em paróquias e escolas em todo o país engaja os católicos norte-americanos em missão por meio de vocações, oração, doações e como voluntários. Seu sítio é maryknollsociety.org.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Vaticano revoga suspensão do padre Miguel d'Escoto - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV