Jesuíta dos Estados Unidos será o novo líder do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Revista ihu on-line

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Caetano Veloso. Arte, política e poética da diversidade

Edição: 549

Leia mais

Mulheres na pandemia. A complexa teia de desigualdades e o desafio de sobreviver ao caos

Edição: 548

Leia mais

Mais Lidos

  • Reitor da Unisinos rejeita medalha oferecida pelo Itamaraty

    LER MAIS
  • A Bíblia como vocês nunca leram

    LER MAIS
  • Carta dos epidemiologistas à população brasileira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


05 Agosto 2014

O Pe. Adolfo Nicolás, superior dos jesuítas, nomeou Thomas H. Smolich, o extrovertido presidente da Conferência dos Jesuítas dos EUA, para ser o próximo diretor do Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS).tomsmolich

A reportagem é do Catholic News Service, 01-08-2014. A tradução é de Claudia Sbardelotto.

O escritório internacional do JRS em Roma anunciou a nomeação no dia 29 de julho. O padre Smolich sucederá o padre jesuíta alemão Peter Balleis.

Antes de assumir o novo cargo no dia 1º de novembro de 2015, o padre Smolich vai estudar francês e trabalhar em projetos especiais na Escola Jesuíta de Teologia da Universidade de Santa Clara, na Califórnia; vai passar quatro meses com o JRS no leste do Congo, trabalhando com refugiados congoleses, bem como com os refugiados de Ruanda e de outras partes da África Central; e vai passar um tempo com o JRS no Oriente Médio, ajudando a responder às necessidades das pessoas refugiadas no interior da Síria, Beirute, no Líbano, e Amã, na Jordânia.

O JRS, fundado em 1980, possui 10 escritórios regionais em todo o mundo; com mais de 1.800 funcionários e voluntários, incluindo 70 jesuítas, atende mais de 950 mil refugiados a cada ano.

"Estou profundamente honrado e grato ao Padre Geral por ter me pedido para fazer isso, porque o JRS realmente fala ao coração da identidade e da nossa missão jesuíta. Vai onde a necessidade é maior", disse o Pe. Smolich em um comunicado divulgado pelo JRS.

Por causa de seu trabalho em regiões devastadas pela guerra, os empregados e voluntários do JRS muitas vezes se encontram na mira dos conflitos globais, disse o comunicado. Em junho, o padre jesuíta Alexis Prem Kumar foi sequestrado no Afeganistão, e seu paradeiro ainda era desconhecido até o fim de julho.

"A Igreja, muitas vezes, é chamada a fazer um trabalho perigoso", disse o padre Smolich. "Eu acho que a pessoa tem que se preparar para isso, tanto quanto for possível, mas, em última análise, perceber que este é o lugar onde somos chamados a estar - nas fronteiras. E as fronteiras, por vezes, são perigosas".

O padre Smolich entrou na província da Califórnia dos jesuítas em 1974 e foi ordenado sacerdote em 1986. Foi provincial da Província da Califórnia de 1999 a 2005.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jesuíta dos Estados Unidos será o novo líder do Serviço Jesuíta aos Refugiados - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV