Comissão discute possível violação de direitos humanos em hidrelétrica no Paraná

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • Assim arma-se a próxima crise financeira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

02 Julho 2014

A Comissão de Direitos Humanos e Minorias promove audiência pública, na quarta-feira (2), para discutir eventual violação dos direitos humanos em razão da construção da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu, em trecho do rio Iguaçu (PR), incluído o cumprimento ao dever de prestar justa indenização aos atingidos pela obra.

A reportagem foi publicada no sítio da Agência Câmara, 01-07-2014.

O evento foi proposto pelo deputado Assis do Couto (PT-PR). Ele ressalta que, a partir de decreto federal de 2012, foi outorgada à empresa Geração Céu Azul S.A. concessão de uso de bem público para exploração do potencial de energia hidráulica, denominada Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu, em trecho do Rio Iguaçu. O contrato de concessão referente à obra foi assinado pelo Ministério de Minas e Energia a empresa Neoenergia, também em 2012.

“A partir dessas medidas iniciou-se o processo de negociação para a indenização aos produtores que possuem terras na área delimitada para a implantação do empreendimento”, relata o deputado.

Pressão

Contudo, acrescenta, “informações prestadas por agricultores familiares dão conta que a concessionária tem agido de forma a criar um ambiente de pressão e disputas entre aqueles que possuem direito à indenização”.

Segundo ele, algumas propriedades seriam negociadas de forma estratégica, “com o intuito de enfraquecer o movimento que busca alcançar um valor justo às compensações”. Paralelo a isso, a empresa empreende esforços para avançar as obras e obter todos os documentos, autorizações, e licenças necessárias.

“É importante, por isso, que este colegiado atue no sentido de esclarecer o cenário atual, e buscar que o direito à justa indenização e outros relacionados sejam inteiramente respeitados”, argumenta Assis do Couto.

Convidados

Foram convidados para discutir o assunto com os integrantes da comissão:

- o agricultor familiar com propriedade na área da hidrelétrica Sidinei Martini;
- o representante do Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), Rodrigo Zancanaro;
- o secretário da Comissão de Direitos Humanos e Cidadania do estado do Paraná, Luís Antônio de Oliveira Rosa;
- o prefeito de Capitão Leônidas Marques, Ivar Barea;
- o secretário para Assuntos Fundiários do Paraná, Hamilton Serighelli;
- o superintendente Jurídico da Neoenergia, Roberto Fontes Federici;
- o superintendente de Implantação da Neoenergia, Sávio da Rós;
- o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica, Romeu Rufino;
- a secretária adjunta da Secretaria Nacional de Articulação Social da Secretaria-Geral da Presidência da República, Juliana Gomes Miranda; e
- a chefe da Assessoria Especial em Gestão Socioambiental da Secretaria Executiva do Ministério de Minas e Energia, Maria Ceicilene Aragão Martins.

A audiência ocorrerá a partir das 14 horas, no plenário 9.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Comissão discute possível violação de direitos humanos em hidrelétrica no Paraná - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV