Bolívia inverte relógio, que passa a girar à esquerda para representar “mudança política”

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “O coronavírus é um pedagogo cruel”. Entrevista com Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • Porque a América Latina é o epicentro da pandemia? Artigo de Raúl Zibechi

    LER MAIS
  • Se nos empenharmos a aliviar tanto sofrimento, estaremos buscando a Deus. Artigo de José María Castillo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Jonas | 26 Junho 2014

O governo boliviano inverteu o sentido do relógio que fica na fachada do Legislativo, fazendo com que ele gire no sentido “anti-horário”, à esquerda, para contar as horas. O objetivo da medida é representar as mudanças vivenciadas pelo país nos últimos oito anos, durante a gestão do presidente Evo Morales, quando houve uma revalorização da cultura andina.

 
Fonte: http://goo.gl/fw1eID  

A reportagem é publicada por Opera Mundi, 25-06-2014.

O ministro das Relações Exteriores, David Choquehuanca, e o presidente do Senado, Eugenio Rojas, que como Evo são indígenas aimaras, falaram nesta terça-feira (24/06) sobre a iniciativa, batizada de "relógios do Sul".

O objetivo, segundo eles, é conscientizar a população de que a Bolívia é uma nação do sul, por isso a forma de registrar o tempo nos relógios deve ser diferente, como acontece com o solstício e o equinócio.

A mudança foi realizada na meia-noite de sexta-feira (20/06), quando começou o inverno no hemisfério sul, e surpreendeu quem passava pela Praça Murillo, a principal de La Paz, onde estão os palácios do Congresso e da presidência.

"Não temos que complicar, simplesmente nos conscientizar que vivemos no sul. Não estamos no norte", disse Choquehuanca que garantiu que a iniciativa, longe de pretender "causar algo a alguém", tem como objetivo revalorizar a cultura nacional.

"Quem disse que o relógio tem que girar desse lado sempre? Por que sempre temos que obedecer, por que não podemos ser criativos?", questionou o ministro boliviano.

Regalo boliviano

Choquehuanca revelou que na recente celebração da Cúpula dos países do G77 e a China, na Bolívia, as delegações receberam um relógio de mesa invertido em forma de mapa boliviano e que inclui o território litorâneo que o país perdeu na guerra contra o Chile de 1879.

O chanceler boliviano admitiu que a ideia não é absolutamente original porque ele ganhou um relógio de pulso com essas características em Londres, mas ressaltou que essa foi uma criação vinculada à identidade do sul.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bolívia inverte relógio, que passa a girar à esquerda para representar “mudança política” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV