MPL diz que não condena ação de 'black blocs'

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • Desmonte do SUS: decreto anuncia privatização da atenção básica em retrocesso histórico

    LER MAIS
  • Francisco desafia Trump com primeiro cardeal afro-americano

    LER MAIS
  • Surgem provas de que o Vaticano censurou o Papa Francisco em 2019

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: Cesar Sanson | 23 Junho 2014

Militante do MPL (Movimento Passe Livre) e professor de história, Lucas Monteiro em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, 21-06-2014, não defende, mas não condena, a ação de "black blocs" nas manifestações do movimento. Ele nega acordo com a PM e diz que o MPL enviou carta à Secretaria de Segurança dizendo que garantiria a segurança apenas dos próprios manifestantes.

Eis a entrevista.

Qual é a relação do MPL com os "black blocs"?

Não existe mapeamento pra dizer quem é "black bloc". Como é uma tática, e não um grupo político exatamente, é muito difícil dizer que temos ou não diálogo. A gente conversa com todo mundo que vai nas manifestações, que são públicas e abertas, tentando manter o objetivo dos atos.

Mas vocês discutem estratégias para lidar com eles?

A gente tenta sempre conversar com todos. O grau de aderência aos nossos objetivos varia, em algumas manifestações é maior, em outras é menor. A gente não é um partido que tem um controle de todo mundo que está na manifestação, nem é nosso objetivo controlar.

Nos atos de sem-teto "black blocs" não são bem-vindos. Qual é a postura do MPL?

Temos que deixar claro nosso objetivo e tentar controlar isso, mas a gente não expulsa ninguém dos atos. A gente não acha que a rua é nossa. A tática "black bloc" não é como o MPL se propõe a atuar, mas não criminalizamos a ação política dos outros.

Mas a ação deles não prejudica os objetivos do MPL?

Em alguns momentos algumas pessoas prejudicam. Mas o que prejudica qualquer movimento é a tentativa de criminalização da luta social empreendida pelo Estado, pela burguesia e por parte de alguns meios de comunicação.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

MPL diz que não condena ação de 'black blocs' - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV