Prostituição infantil na Copa é preocupação em Recife

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Bartomeu Melià: jesuíta e antropólogo evangelizado pelos guarani (1932-2019)

    LER MAIS
  • Bolsonaro institui o Dia do Rodeio na Festa de São Francisco de Assis

    LER MAIS
  • “O transumanismo acredita que o ser humano está em um suporte equivocado”, afirma filósofo

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Cesar Sanson | 06 Junho 2014

Garotas menores de 18 anos são vistas com frequência em pontos de prostituição do Recife, uma das 12 cidades-sede da Copa do Mundo.

A reportagem é publicada por BBC Brasil, 05-06-2014.

Calcula-se que de cada quatro mulheres que se prostituem em Pernambuco, uma seja criança ou adolescente.

A maioria delas preferem se relacionar com estrangeiros. Por isso, há o temor de que a chegada de turistas de todo o mundo para a Copa aumente o número de crianças e adolescentes assediados.

Campanhas têm alertado contra a prática, mas organizações temem um aumento na prostituição infantil durante a Copa, quando centenas de milhares de turistas estrangeiros deverão desembarcar no país. Em áreas de prostituição de Recife, a reportagem da BBC viu meninas adolescentes vestidas como "mulherões" para atrair clientes.

Turismo sexual

"No Nordeste (do Brasil), há turistas que vêm especificamente para isso (turismo sexual), e vai piorar durante a Copa", argumenta Aginaide Lynch, coordenadora da associação Criança Feliz.

"Quando os homens chegam, taxistas e recepcionistas de hotel os ajudam a encontrar garotas. A polícia costuma estar ausente ou ser conivente com o abuso de menores, então temos de cuidar desse assunto nós mesmos e tirar essas meninas das ruas."

Muitas das garotas têm problemas com drogas ou vêm de famílias desestruturadas, o que colabora para que entrem no mundo da prostituição.

Grávida aos 16 anos, Ana conta que sua vida sexual começou aos 12 anos. Ela diz que não se prostitui, mas suas amigas vão atrás de clientes estrangeiros porque eles são mais "ricos e generosos". "Tenho muitas amigas que vão com os gringos. Eles vêm aqui em busca de garotas - você sabe, garotas de programa."

O Governo Federal promete barrar a entrada no Brasil de pessoas suspeitas de abusar sexualmente de menores e deportar pessoas denunciadas pelo crime.

Além disso, uma lei foi sancionada estabelecendo como crime hediondo a exploração sexual de menores.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Prostituição infantil na Copa é preocupação em Recife - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV