A Igreja católica argentina respaldou os números sobre a pobreza publicados pela UCA

Revista ihu on-line

Diálogo interconvicções. A multiplicidade no pano da vida

Edição: 546

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Mais Lidos

  • “O risco que eu estou correndo é cada vez maior, e a responsabilidade vocês sabem de quem é”, denuncia padre Júlio Lancellotti

    LER MAIS
  • A nova encíclica de Francisco nascida do diálogo com o Islã e do Covid. Artigo de Alberto Melloni

    LER MAIS
  • Padre Julio Lancellotti recebe novas ameaças após ataques virtuais de deputado

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Por: André | 05 Mai 2014

O presidente da Comissão Episcopal, Jorge Lozano, assegurou que “são publicados e apresentados de maneira transparente”. Acrescentou que possuem “uma margem de erro mínima”. O relatório do Observatório da Dívida Social da Universidade Católica Argentina assinala que mais de 10 milhões de argentinos são pobres.

A reportagem está publicada no sítio argentino La Noticia1, 28-04-2014. A tradução é de André Langer.

O Observatório da Dívida Social da Universidade Católica Argentina indica que 27,5% dos argentinos vivem abaixo da linha de pobreza e que 5,5% não conseguem ultrapassar sequer a linha da indigência.

Os números geraram polêmicas, já que foram publicados um dia após o Governo suspender a publicação dos números oficiais determinados pelo INDEC.

Após a publicação dos números da UCA, lideranças do kirchnerismo criticaram o relatório. Axel Kicillof garantiu que “é ridículo pensar que a pobreza aumentou”, enquanto que Jorge Capitanich acrescentou que “é um absurdo pensar nos índices de pobreza publicados pela Universidade Católica Argentina”.

Na segunda-feira, 28 de abril, o presidente da Comissão Episcopal Argentina, Jorge Lozano, assegurou que os números “são publicados e apresentados de maneira transparente, a metodologia pode ser conferida, porque não são folhinhas soltas. Apresentam resultados com uma margem de erro que é mínima”.

Assim mesmo, acrescentou que “desde 2008 deteve-se a queda da pobreza e inclusive houve um leve aumento” e rematou: “no país que produz tantos alimentos, é como ter sede a dez metros de uma cisterna”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A Igreja católica argentina respaldou os números sobre a pobreza publicados pela UCA - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV