Jornal britânico sugere que Brasil cancele vários esportes para 'salvar' Olimpíada

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS
  • Papa Francisco condena perseguição antigay e está preocupado com “cura gay”

    LER MAIS
  • Católicos e anglicanos - Trabalhar juntos para bem da humanidade, diz secretário do Vaticano

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

25 Abril 2014

Um artigo publicado com destaque na edição desta quinta-feira no jornal britânico The Guardian sugere que o Brasil deveria cancelar a realização de diversos esportes na Olimpíadas do Rio de 2016 - sobretudo os de elite, como tênis, golfe, iatismo e hipismo - e realizar um evento mais barato e enxuto.

A reportagem foi publicada por BBC Brasil, 24-04-2014.

Simon Jenkins diz que o Brasil tem sido constantemente criticado pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) por atrasos nas obras. O Brasil teria completado apenas 10% das estruturas das Olimpíadas. Em Londres, dois anos antes do evento, esse índice já era de 60%.

Para ele, o Brasil deveria rejeitar as críticas do COI e investir menos nas Olimpíadas. Isso seria uma forma de "salvar" os Jogos dos gastos excessivos e incompatíveis com a realidade da maioria dos países.

"Com as eleições nacionais em outubro e o apoio aos Jogos despencando, os políticos do Brasil poderiam alegar motivos de força maior, desmascarar o blefe do COI e sediar uma versão enxuta e de austeridade dos Jogos, como a Grã-Bretanha fez em 1948."

'Coragem que faltou a Londres'

"Eu acredito que o Rio ainda tem tempo para mostrar a coragem que faltou a Londres em 2005 [ano em que a capital britânica foi escolhida para sediar os Jogos de 2012]. Londres gabou-se de que sediaria os 'Jogos do Povo'. Mas acabou capitulando à grandiosidade do COI, construindo um novo estádio, em vez de usar o de Wembley, e elevando seu orçamento de US$ 4 bilhões para US$ 13 bilhões", escreve Jenkins.

"O Rio poderia fazer justamente o oposto. Ele poderia receber o mundo com quaisquer estádios e arenas que sobraram dos Jogos Pan-Americanos de 2007 e se amparar na televisão para [levar os Jogos aos] demais."

"Se fizer isso daí, em vez de ser abusado por atraso e incompetência, esta cidade magnífica teria o mundo comemorando sua ousadia e sua coragem."

O colunista do jornal afirma que a Copa do Mundo deste ano pode servir como uma espécie de catalisador para que o Brasil venha a "enxugar" as Olimpíadas do Rio. Segundo ele, a população está agora percebendo os absurdos que são os investimentos feitos em eventos como este.

"[A Copa] está custando US$ 4 bilhões ao Brasil só em estádios para 64 jogos, mais o mesmo valor em infraestrutura. Isso é um assustador US$ 125 milhões por partida. Só generais em guerra e autoridades suíças de esporte conseguem contemplar gastos tão obscenos."

Jenkins diz que eventos grandes "traumatizam" cidades grandes e complexas, e acusa o COI de ser "viciado em extravagâncias".

Ele também descarta os efeitos do legado destes eventos nos países. Jenkins se disse inicialmente entusiasmado com o programa Morar Carioca, de investimento em infraestrutura de moradia para 200 mil pessoas em favelas no Rio.

"Esse plano seria um legado verdadeiro, um dos projetos de renovação urbana mais criativos que já vi em qualquer lugar."

No entanto, para ele, o programa da Prefeitura do Rio foi praticamente abandonado pelas autoridades.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Jornal britânico sugere que Brasil cancele vários esportes para 'salvar' Olimpíada - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV