Efeito estufa: Emissões de CO2 pela agricultura dobraram em meio século, alerta FAO

Revista ihu on-line

Gauchismo - A tradição inventada e as disputas pela memória

Edição: 493

Leia mais

Financeirização, Crise Sistêmica e Políticas Públicas

Edição: 492

Leia mais

SUS por um fio. De sistema público e universal de saúde a simples negócio

Edição: 491

Leia mais

Mais Lidos

  • Um regime anômalo sem direção definida. Artigo de Boaventura de Sousa Santos

    LER MAIS
  • O Papa Francisco fracassou?

    LER MAIS
  • “Sem Cerrado, sem água, sem vida”: campanha nacional em defesa do Cerrado é lançada em Brasí

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

17 Abril 2014

Segundo a FAO, a queda de desmatamentos amenizou o aumento de emissões registrado pela agricultura como um todo. Foto: Przykuta. Foto: Wikimedia Commons/CC BY-SA 3.0

Com participação central de países em desenvolvimento, aumento pode ser de 30% até 2050, segundo estimativa da agência da ONU. Ainda assim, emissões pelo uso de terra e desmatamentos diminuíram.

A reportagem é publicada por ONU Brasil, 14-04-2014.

De acordo com estimativas divulgadas pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) no último domingo (13), as emissões de gases do efeito estufa pela agricultura quase que dobraram nos últimos 50 anos, e podem aumentar em 30% até 2050.

“Os novos números pela FAO representam uma das mais abrangentes fontes de informação já pesquisadas sobre a contribuição da agricultura para o aquecimento global”, declarou Francesco Tubiello, da Divisão de Clima, Energia e Uso de Terras da agência. “O aumento mais significativo aconteceu em países em desenvolvimento, devido ao avanço da produção agrícola.”

Emissões provenientes do gado e de plantações subiram de 4,7 bilhões de toneladas equivalentes de dióxido de carbono (CO2 eq) em 2001 para mais de 5,3 em 2011 – um aumento de 14%. Já as emissões advindas do uso de terras e de desmatamentos diminuíram em quase 10% entre 2001 e 2010 – uma redução de 3 bilhões de toneladas (CO2 eq) por ano.

“Isso se deve à queda da prática de desmatamentos e ao aumento da quantidade de gás atmosférico sendo ‘sequestrado’ em muitos países”, explica a FAO. “Como resultado do ‘sequestro’ do carbono pelas florestas, algo em torno de 2 bilhões de toneladas de CO2 foram removidos da atmosfera durante o período analisado.”

Acesse o estudo, em inglês, clicando aqui.