Presidente do Paraguai protege apenas os interesses dos proprietários de terras, diz bispo

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Papa Francisco condena perseguição antigay e está preocupado com “cura gay”

    LER MAIS
  • Opositores do papa: continuem assim

    LER MAIS
  • Católicos e anglicanos - Trabalhar juntos para bem da humanidade, diz secretário do Vaticano

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

09 Janeiro 2014

O vigário geral da diocese de Concepción, Dom Páblo Cáceres, disse no dia 06-01-2014 que o governo de Horacio Cartes não tem feito outra coisa senão defender os interesses dos proprietários de terras no norte do país e que as forças conjuntas que operam em nome do autodenominado “Exército do Povo Paraguaio – EPP” vem reprimindo as pessoas humildes.

A reportagem foi publicada pelo jornal La Nación, 07-01-2014. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Em entrevista concedida ao site Ecoradiotv.com, o religioso qualificou as forças de segurança do Estado como defensoras dos proprietários de fazendas e pediu que o Estado se encarregue das vítimas “colaterais” resultantes da estratégia de segurança para dar fim a um grupo guerrilheiro nesta região do país.

“Os militares e a polícia defendem os interesses dos proprietários de terras e protegem a quem viola nossa soberania. Eles não estão a serviço de proteger nossas fronteiras, mas sim para entregá-las aos estrangeiros que invadem. Protegem as vacas, a soja, porém não os direitos dos seres humanos”, afirmou o religioso. Disse ainda que os militares têm seu posto de trabalho na propriedade privada dos Lindstrons e que a polícia o tem na propriedade dos Mary Llorens.

O prelado também pediu pela indenização das vítimas inocentes que pagaram com suas vidas na operação das forças de ordem durante a busca de grupos marginalizados. A Força de Operações da Polícia Especializada – FOPE comete barbaridades, atropela e mata pessoas da comunidade. Cria problemas. Arrombam casas, matam animais e até mesmo pessoas, como o jovem Agustín Ledesma – que era surdo-mudo – e Francisco Denis, líder da Igreja de sua localidade. Estes crimes ficaram impunes”, falou Dom Páblo Cáceres.

Dom Cáceres disse: o grupo que trabalha sob o nome Exército do Povo Paraguaio – EPP não são guerrilheiros, mas simples “criminosos” e que existem organizações sociais tradicionais cujas reinvindicações sociais estão sendo criminalizadas por causa da existência da EPP. Por fim, pediu que o Estado não pare com a distribuição de artigos de primeira necessidade, como chamou os mantimentos e insumos para a agricultura, já que “ali não termina o combate à pobreza”.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Presidente do Paraguai protege apenas os interesses dos proprietários de terras, diz bispo - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV