Mandela destruiu o apartheid, diz historiador

Revista ihu on-line

Do ethos ao business em tempos de “Future-se”

Edição: 539

Leia mais

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Mais Lidos

  • A CNBB urge o governo a tomar “medidas sérias para salvar uma região determinante no equilíbrio ecológico do planeta”

    LER MAIS
  • Planeta em chamas. Artigo de Eliane Brum

    LER MAIS
  • Dia Mundial pelo fim do Especismo: 24 de agosto de 2019

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Cesar Sanson | 06 Dezembro 2013

O apartheid foi destruído por Nelson Mandela. A avaliação é do historiador, escritor e ex-professor de filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Joel Rufino dos Santos, para quem o ex-presidente da África do Sul foi mais que um herói para o país africano. “Mandela foi o maior de todos. Foi ele quem destruiu o apartheid. Ele é um dos melhores homens de toda a humanidade”, disse.

A reportagem é de Cristina Indio do Brasil e publicada pela Agência Brasil, 05-12-2013.

O historiador, que é também doutor em comunicação e cultura, destacou que Mandela não pode ser classificado apenas como um líder para os negros sul-africanos, mas também para os brancos do país, porque lutou por questões além da liberdade.

Uma prova disso é que recebeu o Prêmio Nobel da Paz ao lado de Frederik de Klerk que foi o último presidente branco do sistema de segregação racial da África do Sul. “Ele representou mais. Ele representou uma luta anti-sistêmica mesmo para quem não acredita em uma revolução anticapitalista, mesmo para quem não tenha implantado um sistema socialista”, disse.

Para Joel Rufino, apesar de ter usado armas em determinado momento da luta contra o sistema de segregação racial sul-africano, a atuação de Mandela foi marcada pelo pacifismo. “Quando ele saiu da prisão aceitou a luta pacífica. Ele primeiro foi um pacifista, depois um revolucionário armado e depois novamente um pacifista”, completou declarando que foi assim que conduziu a África do Sul ao se tornar presidente.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Mandela destruiu o apartheid, diz historiador - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV