Ruralistas ameaçam ignorar liminar e realizar leilão de animais sábado

Revista ihu on-line

Grande Sertão: Veredas. Travessias

Edição: 538

Leia mais

A fagocitose do capital e as possibilidades de uma economia que faz viver e não mata

Edição: 537

Leia mais

Juventudes. Protagonismos, transformações e futuro

Edição: 536

Leia mais

Mais Lidos

  • Livro analisa os teólogos, a virada ecumênica e o compromisso bíblico do Vaticano II

    LER MAIS
  • Adaptando-se a uma ''Igreja global'': um novo comentário internacional sobre o Vaticano II. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Desigualdade bate recorde no Brasil, mostra estudo da FGV

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

Por: Cesar Sanson | 05 Dezembro 2013

O presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Francisco Maia, ameaça até ignorar a liminar da Justiça e promover o Leilão da Resistência no sábado em Campo Grande. Ele disse que vai recorrer contra a liminar, concedida hoje pela juíza da 2ª Vara da Justiça Federal, Janete Lima Miguel. No entanto, não pretende suspender a venda de animais para arrecadar fundos para a contratação de seguranças e compra de armas para proteger as propriedades rurais das invasões indígenas.

A reportagem é de Filipe Prado e publicada pelo sítio Campo Grande News, 94-12-2013.

“Se até os índios rasgam as decisões dos juízes na frente deles, por que nós temos que acatar esta decisão?”, comentou Maia.

Ele relata que a decisão da juíza é injusta. “Acho que é uma decisão arbitraria, injusta e ilegal, pois isso afeta a democracia, nós temos o direito de nos reunir livremente”, relata Francisco. O presidente ainda rebate que a suspensão pode ter sido por conta da, suposta, formação de uma milícia, a partir dos lucros do leilão. “É um preconceito, pois não existe esta história de milícia. Parece que vivemos em uma ditadura”.

Segundo Francisco Maia, ele se reunirá com a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de MS) e outras entidades que participariam do leilão. “Vou me reunir e ouvir meus companheiros, mas, pessoalmente, eu pretendo fazer o leilão, com ou sem a vontade da juíza”, afirma.

Ele ainda conta que tentarão rebater a suspensão da Justiça. “Nós vamos tentar derrubar a decisão dela”, comenta o presidente da Acrissul.

Leilão

O leilão seria realizado neste sábado (07), a partir das 13h, com objetivo de arrecadar fundos para a criação de uma milícia, que ajudará a defender a classe das invasões indígenas. Cerca de mil animais, entre bois, galinhas, cavalos, entre outras espécies, seriam leiloados, com a estimativa de lucrar até R$ 1 milhão.

Várias autoridades já estariam confirmadas para o evento de sábado, entre elas os deputados federais Ronaldo Caiado, Luis Carlos Heinze, Moreira Mendes, Abelardo Lupion, além dos políticos regionais, como Eduardo Henrique Mandetta e os senadores Reinaldo Azambuja e Waldemir Moka.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ruralistas ameaçam ignorar liminar e realizar leilão de animais sábado - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV