Lula negocia apoio do agronegócio à reeleição de Dilma

Revista ihu on-line

Pra onde ir - A crise do Rio Grande do Sul vai além da questão econômica

Edição: 510

Leia mais

Henry David Thoreau - A desobediência civil como forma de vida

Edição: 509

Leia mais

Populismo segundo Ernesto Laclau. Chave para uma democracia radical e plural

Edição: 508

Leia mais

Mais Lidos

  • Sobre o corporativismo clerical

    LER MAIS
  • Gauchismo e os transbordamentos de sua alma oceânica

    LER MAIS
  • Brasil, um grande vendedor de armas até para ditadores e Governos autoritários

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU

09 Novembro 2013

Ao mesmo tempo em que a presidente Dilma Rousseff reforça sua agenda de viagens, inaugurações e solenidades públicas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva promove reuniões políticas e pretende rodar o país em busca de apoios para o projeto da reeleição. Na semana que vem, Lula irá ao Mato Grosso do Sul, a convite do senador Delcídio Amaral (PT-MS), pré-candidato ao governo do estado, e aproveitará para se reunir com representantes do agronegócio e com empresários. A construção de palanques competitivos para Dilma em Pernambuco, Pará e Maranhão é outra preocupação imediata do ex-presidente.

A reportagem é de Fernanda Krakovics e publicada pelo jornal O Globo, 08-11-2013.

Em Campo Grande, Lula pretende aproveitar o mal-estar que a aliança do pré-candidato do PSB, governador Eduardo Campos (PE), com a ex-senadora Marina Silva gerou entre representantes do agronegócio, para tentar estreitar a relação com o setor. Ao se filiar ao PSB, Marina implodiu a aliança de Campos com o líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (GO), expoente dos ruralistas no Congresso, gerando uma onda de solidariedade. Ela classificou Caiado como inimigo histórico dos trabalhadores rurais.

Além do agronegócio, Lula vai se encontrar com empresários dos setores de etanol, turismo e papel e celulose. Ele vem tentando reverter a desconfiança do empresariado em relação a Dilma, considerada intervencionista e de pouco diálogo com a classe. O petista está preocupado com a simpatia do empresariado pela candidatura de Eduardo Campos.

Em Pernambuco, o ex-presidente tem feito gestões para que o PT não lance candidato próprio ao governo do estado e apoie o senador Armando Monteiro (PTB).

— Temos um nome forte (no PT), que é o ex-prefeito do Recife João Paulo, e há a possibilidade de apoiar o Armando Monteiro. Essa discussão será feita em março — disse o senador Humberto Costa (PT-PE).

No Pará, Lula convenceu a ala majoritária do PT a apoiar a candidatura a governador de Helder Barbalho (PMDB), filho do senador Jader Barbalho (PMDB-PA).

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Instituto Humanitas Unisinos - IHU - Lula negocia apoio do agronegócio à reeleição de Dilma