Futura arcebispa sueca questiona concepção virginal de Jesus

Revista ihu on-line

Cultura Pop. Na dobra do óbvio, a emergência de um mundo complexo

Edição: 545

Leia mais

Revolução 4.0. Novas fronteiras para a vida e a educação

Edição: 544

Leia mais

Ontologias Anarquistas. Um pensamento para além do cânone

Edição: 543

Leia mais

Mais Lidos

  • Irreverência

    LER MAIS
  • Uma prova do conclave. O próximo papa assumirá o nome da Comunidade de Santo Egídio

    LER MAIS
  • “Eu estou tirando Deus da Bíblia”. Entrevista com Marc-Alain Ouaknin

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


close

FECHAR

Enviar o link deste por e-mail a um(a) amigo(a).

Enviar

01 Novembro 2013

A Igreja da Suécia, a maior Igreja luterana do mundo, escolheu uma nova arcebispa ao término de um processo democrático interno. Antje Jackelén, atualmente bispa de Lund, será, assim, a primeira mulher a dirigir essa Igreja a partir de 15 de junho próximo, sucedendo Anders Wejryd.

A reportagem é de Henrik Lindell, publicada pela revista La Vie, 29-10-2013. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Mas, recém-nomeada, a futuro arcebispa de Upsala já levantou um amplo debate teológico nos ambientes cristãos. Durante as audiências antes da sua eleição, a eclesiástica, que também é teóloga, deu a entender que estava pondo em discussão a concepção e o nascimento virginal de Jesus. "Se compreendemos o nascimento virginal como uma questão biológica, não entendemos nada dessa história", explicou.

Ela também sugeriu que Jesus não é o único caminho que leva a Deus, mas que pode haver outros. Para muitos luteranos suecos, muitas vezes de orientação liberal, Jackelén, assim, compartilhou, tornando-o público, uma dúvida legítima, insistindo na necessidade de interpretar os fenômenos sobrenaturais descritos na Bíblia.

Mas, para os cristãos apegados às verdades bíblicas tradicionais, esse discurso não está nada bem. Para eles, Jesus verdadeiramente nasceu de uma virgem, e o fato de questionar isso poderia levar a duvidar da divindade do filho de Deus. Do mesmo modo, Jesus é verdadeiramente o único caminho que conduz ao Pai.

No mais difundido jornal cristão sueco, que é de origem evangélica, os editorialistas se mostraram publicamente perturbados pela falta de clareza da futura arcebispa.

Dentro da própria Igreja luterana, muitos se distanciaram de Jackelé. Como Eva Hamberg, pastora e teóloga, membro da importante Comissão de Formação (läronämnd) da Igreja. Ela se demitiu de todos os seus cargos e abandonou a Igreja luterana.

"Se a nossa futura arcebispa não pode mais aceitar a confissão apostólica, isso significa que a secularização foi longe demais. Eu não quero mais fazer parte dessa evolução", declarou ela ao jornal Dagen. Segundo ela, uma grande parte da direção da Igreja luterana "não sabe mais se Jesus apresenta uma concepção de Deus mais verdadeira do que a de Maomé".

Do mesmo modo, ela critica Jackelén pela sua interpretação "metafórica" do nascimento virginal de Jesus. Eva Hamberg está pensando em entrar em uma Igreja batista ou pentecostal "ainda pouco afetada pela secularização".

E, em uma carta aberta publicada no grande jornal Svenska Dagbladet, o teólogo e pesquisador da Universidade de Lund Martin Lembke pediu que Antje Jackelén respondesse à pergunta: você acredita que Jesus nasceu de uma virgem ou não? Na resposta ao teólogo, Jackelén nega ter recusado o fato de admitir o nascimento virginal: "Eu queria ressaltar que, se reduzirmos a história a uma questão biológica, obscurecem-se as implicações teológicas de Jesus e de Maria". Ela também confirma que "não se deveria obscurecer o mistério da Encarnação e relativizar a sua unicidade".

Mas, como Martin Lembke afirma em uma nova intervenção no jornal Svenska Dagbladet do dia 28 de outubro, a futura arcebispa não respondeu à sua pergunta. Ele volta a questionar: "Ou Maria teve relações sexuais antes de dar à luz a Jesus, ou não. Não é uma questão sutil de interpretação ou uma falsa dicotomia – qualquer que sejam os gêneros literários de Mateus e Lucas. E o fato de dizer qual das versões seria a mais provável, a menos que se ache ambas igualmente prováveis, não significa reduzir o nascimento virginal ou a fé em Jesus à biologia".

Esse debate também está sobrecarregado em um plano simbólico. Martin Lembke, o jovem crítico da bispa teóloga de Lund, também leciona na mesma cidade universitária, um dos berços históricos do cristianismo na Suécia. Mas, ao contrário do Antje Jackelén, profundamente ligada ao luteranismo alemão (ela nasceu na Alemanha), Lembke provém do evangelismo pentecostal.

Depois de passar por uma crise existencial, ele se converteu ao... catolicismo. É um fenômeno muito frequente entre os jovens intelectuais cristãos na Suécia. E esse aceso debate com a futura arcebispa está apenas começando.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Futura arcebispa sueca questiona concepção virginal de Jesus - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV